Cartaz de cinema

Revelados os filmes da competição internacional do IndieLisboa 2018

Publicado em 27 Mar. 2018 às 13:24, por , em Notícias de cinema (Temas: Festivais de cinema)

Revelados os filmes da competição internacional do IndieLisboa 2018

Está fechada a programação da Competição Internacional da 15ª edição do IndieLisboa que propõe uma selecção de curtas e longas metragens de produção recente, montra para alguns dos mais interessantes novos olhares do cinema mundial.

Tem sido descrita como a obra prima de Alessia Chiesa, esta que é a sua estreia na longa metragem. "El día que resistía" é descrito como um encantador e lúdico olhar sobre a intimidade de três crianças, que, entre as piadas do dia e a tensão aberta pelo cair da noite, retrata o micromundo paralelo da infância afastada das grandes cidades.

Das paisagens bucólicas para a urbe, com "Person to Person", a narrativa de Dustin Guy Defa em torno da vida diária de múltiplas personagens nova nova-iorquinas: dos lendários performers Philip Baker Hall e Isiah Whitlock Jr., aos actores Michael Cera e Abbi Jacobson, passando pelos realizadores David Zellner e Benny Safdie.

O francês Bertrand Mandico estreia a sua primeira longa na edição deste ano do Indie. "Les garçons sauvages" combina a fantasia, o erótico, o filme de piratas e o body horror para construir uma parábola sobre a identidade de género.

Regressa também Gustavo Vinagre, com "Lembro Mais dos Corvos" (a primeira longa do realizador) totalmente dedicada à actriz trans Júlia Katharine.

Depois de, em 2010, ter estreado em Lisboa "Histórias da Idade de Ouro", Constantin Popescu apresenta-se com um thriller emocional. "Pororoca" descreve a procura desesperada de um pai que vê a sua filha desaparecida, por entre longos planos sequência que adensam o sentimento de impotência.

As relações familiares são também o foco da estreia de Donal Foreman no festival. "The Image You Missed", é um documentário a dois tempos, que procura o reencontro com um um pai ausente, porque comprometido com os ideais de uma luta.

Essa mesma ausência de que fala "3/4", segunda obra do búlgaro Ilian Metev, um retrato sobre o processo de adaptação e cura de uma família que perdeu, subitamente, a sua mãe.

"An Elephant Sitting Still", primeira obra do chinês Hu Bo, é um retrato crú de uma sociedade de egoístas, habitada por pessoas que se desmoronam debaixo da pressão económica numa China a braços com a corrida incessante pelo progresso.

"Baronesa", é aa obra de estreia de Juliana Antunes. Foi galardoada em diversos festivais e considerada a melhor primeira obra de 2017 por um conjunto de 135 programadores, críticos e cineastas de todo o mundo. O filme acompanha o dia a dia de Leidiane e Andreia num raro olhar feminino sobre as favelas brasileiras.

A lista de longas da competição interncional encerra com "Il risoluto", de Giovanni Donfrancesco, um filme que condensa as memórias de um ex-membro da Decima MAS, uma das mais violentas milícias do fascismo italiano.

A Competição Internacional de curtas volta a descobrir novos cineastas, com mais de 30 filmes em estreia nacional.

Inclui Céline Devaux e o seu "Gros chagrin", obra vencedora do Grande Prémio Orizontti Curta Metragem, no Festival de Veneza 2017 e "The Men Behind the Wall", de Inês Moldavski, que conquistou o Urso de Ouro na Berlinale 2018.

Novidade absoluta, "Doei", de Pien van Grinsven, obra realizada no âmbito de um mestrado com a Lusófona mostra uma visão da família atípica, dura mas comovente.

"Trajectory Drift", de Iván Castiñeiras, revela como um contentor de mercadorias se transforma numa soturna babel à deriva, onde dois homens recordam a história dos seus exílios.

Destaque ainda para "Amor, Avenidas Novas", de Duarte Coimbra, saído da mesma turma da ESTC que, este ano, produziu "Onde o Verão Vai".

Competição Internacional Indie Lisboa 2018

Longas metragens

  • An Elephant Sitting Still, de Hu Bo
  • Baronesa, de Juliana Antunes
  • El día que resistía, de Alessia Chiesa
  • Il risoluto, de Giovanni Donfrancesco
  • Lembro Mais dos Corvos, de Gustavo Vinagre
  • Les garçons sauvages, de Bertrand Mandico
  • Person to Person, de Dustin Guy Defa
  • Pororoca, de Constantin Popescu
  • The Image You Missed, de Donal Foreman
  • Three Quarters, de Ilian Metev

Curtas metragens

  • (Fool Time) JOB, de Gilles Cuvelier
  • A Gentle Night, de Qiu Yang
  • A Love Letter to the One I Made Up, de Rachel Gutgarts
  • Afternoon Clouds, de Payal Kapadia
  • Amor, Avenidas Novas, de Duarte Coimbra
  • Anina, de Alkaios Spyrou
  • Area 51, Nevada, USA, Annabelle Amoros
  • Arr. for a Scene, de Jonna Kina
  • Beetle Trouble, de Gabriel Böhmer
  • Coqueluche, de Aurélien Peyre
  • Dansons maintenant, de Mathilde Buy
  • Déjalo ser, de Novelo Txema
  • Doei, de Pien van Grinsven
  • Eight Images from the Life of Nastya Sokolova, de Alina Kotova e Vladlena Sandu
  • El cielo de los animales, de Juan Renau
  • Enough, de Anna Mantzaris
  • Evidence of the Evidence, de Alexander Johnston
  • Gros chagrin, de Céline Devaux
  • Have Heart, de Will Anderson
  • Histórias de Lobos, de Agnes Meng
  • Matria, de Álvaro Gago
  • Moulinet, de Sander Joon
  • Prends mon poing, de Sarah Al Atassi
  • Rabbit's Blood, de Sarina Nihei
  • Snow White, de Thadeusz Tischbein
  • Solar Walk, de Réka Bucsi
  • Standing Nymph and Man, de Milad Hosseini-Mozari
  • The Good Education, de Gu Yu
  • The Men Behind the Wall, de Inés Moldavsky
  • The Splintering Sun, de Rossella Nisio
  • Trajectory Drift, de Iván Castiñeiras
  • Tremors, de Dawid Bodzak
  • Vando Vulgo Vedita, de Leonardo Mouramateus e Andreia Pires