Cartaz de cinema

Netflix tem de pôr menos tabaco na programação

Publicado em 4 Jul. 2019 às 12:15, por , em Notícias de Televisão e Séries (Temas: Indústria cinematográfica, Bastidores)

Netflix tem de pôr menos tabaco na programação

Um grupo de pressão norte-americano criticou a plataforma de streaming pelo aumento na presença de tabaco na sua programação com particular ênfase na série "Stranger Things".

Um estudo do grupo de pressão anti-tabaco Truth Initiative aponta o dedo à plataforma de streaming Netflix por mostrar demasiadas personagens a fumar. A preocupação é maior em séries que possam ter jovens como público alvo.

O relatório divulgado pela organização não governamental destaca que "as representações de tabaco em conteúdo classificado para jovens aumentaram mais de 379% num ano". "Stranger Things" surge, novamente, como o pior exemplo entre os 13 programas de maior audiência monitorizados.

Em 2018, um estudo semelhante concluiu que "79% dos programas mais populares entre os jovens continham imagens de tabaco". Na Netflix, afirma a Truth Initiave, a quantidade de vezes que o tabaco surgiu no ecrã quase triplicou, passando de 299 no estudo de 2018, para 866, no de 2019. Nas primeiras duas temporadas de  "Stranger Things" esteve presente em todos os episódios.

Outras séries que aparecem na lista incluem "Unbreakable Kimmy Schmidt", "Orange is the New Black" e  "House of Cards".

Numa declaração citada pelo Deadline, a Netflix defende-se, reconhece os malefícios do fumo e promete reduzir a presença de tabaco nos seus conteúdos, "exceto por razões de rigor histórico ou factual". Compromete-se ainda a incluir advertências no início dos programas.