Cartaz de cinema

Netflix revela padrões de consumo das séries de televisão

Publicado em 13 Jun. 2016 às 18:11, por , em Notícias de Televisão e Séries

Netflix revela padrões de consumo das séries de televisão

A Netflix não revela audiências. Ou seja, não sabemos quantas pessoas vêem cada programa, não há notícias de grandes sucessos, ou de fracassos clamorosos. Os números são um segredo bem guardado pela plataforma mundial de conteúdos online. Daí a relevância dos resultados de um estudo levado a cabo entre outubro de 2015 e maio de 2016 onde a Netflix analisou mais de 100 séries de televisão por episódios em mais de 190 países.

Segundo diz a Netflix num comunicado à imprensa divulgado esta semana, o estudo centrou-se no consumo consecutivo de episódios (em inglês designado como "binge viewing") versus o visionamento ocasional, um hábito mais próximo do que se passa no canais de televisão por cabo.

Afirmam os resultados que o "binge viewing" entre os clientes da Netflix ocorre mais com títulos como "Breaking Bad - Rutura Total", "Orange is the New Black" e "The Walking Dead"; e menos em séries como "House of Cards", "Narcos", "Bloodline" e "Mad Men".

A Netflix sistematizou os números numa Escala de Padrões de Consumo, que revela quais as séries "devoradas" e quais as que são "saboreamos", de acordo com a terminologia usada pela empresa.

Netflix

A Netflix conseguiu descobrir um padrão segundo o qual o consumo superior a duas horas por dia é mais visível nos casos em que os espectadores estão focados em chegar ao fim de séries com ação intensa, por oposição a dramas mais lentos e psicologicamente complexos.

O terror e os thrillers colocam séries como "The Walking Dead", "American Horror Story" e "The Fall" no topo da escala de consumo intensivo ao lado de comédias dramáticas como "Orange is The New Black", "Nurse Jackie" e "Grace & Frankie".

O mesmo estudo afirma ainda que narrativas mais complexas, como "House of Cards", ou "Bloodline", dramas de época, como "Peaky Blinders", ou "Mad Men", e comédias irreverentes como "BoJack Horseman", "Love" e "Unbreakable Kimmy Schmidt", são vistas a um ritmo mais lento.

Sobre os resultados, Cindy Holland, vice-presidente da área de conteúdos próprios na Netflix, diz: "Tal como a Escala de Padrões de Consumo demonstra, a forma como uma série é vista varia bastante, desde os conteúdos mais comoventes até aos mais complexos" .

A Netflix lembra ainda que o posicionamento de uma série na Escala de Padrões de Consumo da Netflix não tem qualquer relação com audiências.