Cartaz de cinema

Vinte mil pessoas pediram à Netflix que retirasse do ar uma série da Amazon

Publicado em 21 Jun. 2019 às 13:03, por , em Notícias de Televisão e Séries (Temas: Bastidores)

Vinte mil pessoas pediram à Netflix que retirasse do ar uma série da Amazon

A petição, promovida por um grupo de fanáticos religiosos, pretendia suspender a emissão de "Good Omens".

O objetivo era claro, retirar do ar a minissérie "Good Omens" por "fazer com que o satanismo pareça algo normal, ligeiro e aceitável" e por "destruir a barreira de terror que a sociedade ainda tem em relação ao diabo". Uma petição com esse fim, promovida pelos cristãos radicais da Return to Order, acabou por recolher vinte mil assinaturas.

No entanto, havia um problema... o pedido era endereçado à Netflix, quando a série está, na realidade, a ser exibida na plataforma da Amazon.

Causa de toda a confusão, "Good Omens", estreada a 31 de maio na Amazon Prime Video, apresenta Aziraphale (Michael Sheen), anjo e antigo guardião do Éden, e Crowley (David Tennant), o demónio que tentou Adão e Eva na forma da serpente. São eles os representantes do Céu e do Inferno na Terra. Acostumados à existência terrena e apreciadores das coisas boas da vida, formaram uma aliança para impedir a chegada do Anticristo e o posterior apocalipse que os forçaria a regressar às aborrecidas tarefas celestes.

O elenco conta ainda com Sam Taylor Buck, no papel de um relutante Anticristo, Adria Arjona como uma ocultista que auxilia os anjos a impedir o fim do mundo, Jon Hamm que interpreta o Arcanjo Gabriel, líder das forças do Céu, e Frances McDormand, a voz de Deus que funciona como narradora - outra grande preocupação dos zelotas autores da petição que não concebem o divino com voz feminina.

Repartida por seis episódios, a história é uma adaptação da sátira de Neil Gaiman publicada em 1990. Gaiman, que colaborou ativamente na criação da série, mostrou-se bem disposto com o sucedido:

A Amazon, aproveitou a onda para dizer que está disposta a cancelar "Stranger Things" se a Netflix concordar em acabar com "Good Omens". A plataforma de streaming também reagiu com humor prometendo "não fazer mais".

Entretanto, a petição foi corrigida e está neste momento endereçada de forma correta. Conta agora com 20.402 assinaturas.

A organização Return to Order "exorta os americanos a transformarem os princípios em ações e a trabalharem em direção a uma sociedade cristã orgânica".

Em abril, protestaram contra a rede de supermercados Walmart que acusaram de lançar "produtos satanicos" e em 2018 tinham-se manifestado contra uma "rede de lojas de gelados blasfema" chamada "Sweet Jesus".