Cartaz de cinema

Recordar Harry Dean Stanton - o ator morreu ontem aos 91 anos

Publicado em 17 Set. 2017 às 11:19, por , em Notícias de cinema (Temas: Obituário)

Recordar Harry Dean Stanton - o ator morreu ontem aos 91 anos

Ator, músico e cantor, Harry Dean Stanton morreu ontem, aos 91 anos de idade, num hospital de Los Angeles.

Natural do Kentucky, Harry Dean Stanton só iniciou uma longa carreira no cinema e na televisão aos 30 anos, após um breve período em que se dedicou à música (sobretudo, num agrupamento apropriadamente chamado de Harry Dean Stanton Band), tendo também ponderado tornar-se escritor.

Ao longo de seis décadas, Harry Dean Stanton trabalhou com realizadores tão influentes como Francis Ford Coppola (O Padrinho: Parte II), Ridley Scott (Alien: O 8º Passageiro), John Carpenter (Nova Iorque 1997), Wim Wenders (Paris, Texas), Martin Scorsese (A Última Tentação de Cristo) e, de forma bastante particular, David Lynch ("Um Coração Selvagem", "Uma História Simples" e, muito recentemente, no regresso à televisão de "Twin Peaks").

Ator versátil, eficaz e perito em registos de personagens moderadas e sombrias, a filmografia de Harry Dean Stanton é abundante em exemplos de como era capaz de interpretar desde o homem discreto, "igual a qualquer um de nós", até ao solitário incompreendido e receado pelos outros.

De uma carreira compreendida por cerca de 200 títulos, o filmSPOT recorda Harry Dean Stanton através de cinco das suas interpretações mais marcantes:

"Paris, Texas" (1984, Wim Wenders)

"O Clandestino" (1984, Alex Cox)

"A Garota do Vestido Cor-de-Rosa" (1988, Howard Deutch)

"À Espera de Um Milagre" (1999, Frank Darabont)

"Twin Peaks" (2017, David Lynch)