Cartaz de cinema

Primeiro ecrã de cinema LED chega a Hollywood

Publicado em 22 Abr. 2018 às 18:44, por , em Notícias de cinema (Temas: Indústria cinematográfica)

Primeiro ecrã de cinema LED chega a Hollywood

As primeiras sessões de cinema com o novo ecrã LED da Samsung em território norte-americano começaram sexta-feira nos arredores de Los Angeles.

O primeiro ecrã de cinema LED nos EUA foi apresentado sexta-feira num complexo de salas em Chatsworth, nos arredores de Los Angeles. A partir deste sábado irá exibir o filme "Ready Player One: Jogador 1", de Steven Spielberg.

A mais recente proposta para revolucionar a exibição pública de cinema é da responsabilidade da Samsung e promete mais brilho e maior amplitude de negros, pondo fim a um dos maiores problemas da projeção digital, a falta de contraste entre os diversos tons que vão do cinzento ao negro. O fabricante afirma ainda que o ecrã de cinema LED permite a projeção com luz ambiente.

Aquilo que, no final de contas, é um enorme ecrã de televisão com pouco mais de 10 metros de comprimento e 5,5 metros de altura dispensa a existência de projetores e cabinas de projeção. De acordo com um vice-presidente da Samsung citado pelo The Hollywood Reporter, a tecnologia tem como objetivo "atrair público às salas de cinema" proporcionando-lhes uma nova experiência.

Numa altura em que o 3D Digital mostra sinais de fraqueza, esta pode ser outra oportunidade de seduzir as pessoas numa época em que a concorrência é cada vez maior. E, claro, permitirá às cadeias de exibição cobrar preços mais altos pelas sessões com a nova tecnologia.

Mas além dos benefícios prometidos, os ecrãs de cinema LED trazem um conjunto de problemas para resolver. Um dos primeiros passos é convencer os realizadores e diretores de fotografia das possibilidades que esta tecnologia abre - e aqui três nomes estarão na mente da Samsung: James Cameron, Peter Jackson e Ang Lee, todos entusiastas das evoluções do cinema digital.

Depois, é fundamental criar os equipamentos de pós-produção que permitam afinar as cores e os degradés para a projeção em ecrãs LED. Para esse fim, um primeiro laboratório já está em funcionamento em Santa Mónica, na zona de Los Angeles.

Outros problemas nada desprezíveis incluem a necessidade de mudar as colunas de som que tradicionalmente estão ocultas atrás do ecrã. No cinema em Chatsworth foram postas acima do ecrã e o som foi tratado com filtros para simular o local de origem. E, claro, o custo. Neste momento o preço de um destes ecrãs LED da Samsung oscila entre os 500 mil e os 800 mil dólares. Por comparação, um projetor digital de topo de gama andará pelos 150 mil dólares.

Além deste ecrã agora inaugurado em Los Angeles, a Samsung tem em funcionamento dois ecrãs na Coreia do Sul, e outros três distribuídos por Zurique, Bangkok e Xangai. A empresa sul-coreana espera ter 10 destes ecrãs a instalados até ao verão e perto de 30 até ao final do ano. Está também a trabalhar no desenvolvimento de um ecrã de 14 metros de altura que será apresentado mais para o fim de 2018.

Além da Samsung, também a Sony tem em desenvolvimento (mas numa fase menos avançada) um sistema para projeção de cinema, neste caso usando painéis LED que permitem combinações modulares.