Cartaz de cinema

National Geographic prepara documentário sobre a revolução dos géneros

Publicado em 9 Ago. 2016 às 10:52, por , em Notícias de Televisão e Séries

National Geographic prepara documentário sobre a revolução dos géneros

O National Geographic Channel (NGC) e a jornalista Katie Couric, anunciaram a produção de um documentário especial de duas horas intitulado "Gender Revolution" que pretende lançar um profundo e firme olhar ao papel da genética, química cerebral e cultura moderna sobre a fluidez de géneros.

Couric é uma conhecida jornalista norte-americana, com experiência em três grandes cadeias televisivas, incluindo 15 anos a apresentar o "The Today Show", programa da manhã do canal NBC.

Atualmente, colabora com a plataforma online Yahoo! News e dedica-se à produção de documentários. O mais recente, "Under the Gun", sobre a violência ligada ao uso de armas de fogo nos EUA.

"Gender Revolution" irá estrear a nível global em 171 países e 45 línguas, em janeiro de 2017 ano, altura em que também será publicado um número da revista National Geographic dedicado a este tema.

"Este documentário vai explorar os papéis da ciência, política e cultura de géneros, dando aos espectadores um maior conhecimento sobre o que se está a tornar um assunto em rápida evolução", disse Courteney Monroe, CEO da National Geographic Global Networks. "Estamos orgulhosos pela parceria desenvolvida com Katie e a sua talentosa equipa de produção para termos o nosso papel em quebrar as complexidades da identidade de géneros".

"Todos os dias parece surgir uma nova história e um novo vocabulário sobre géneros que desafia as nossas atitudes e preconceitos sobre o que faz com que sejamos quem somos", disse Couric. Este programa vai para além dos grandes cabeçalhos e examina o porquê, o como e o que tudo quer realmente dizer, através de histórias íntimas de pessoas que estão na linha da frente desta nova fronteira. Também iremos explorar as maneiras como este assunto está a afectar quase todos os aspetos da nossa vida diária, desde a ida à casa de banho, às salas de reuniões, das escolas ao desporto de alta competição. Pense desta forma: isto será tudo o que sempre quis saber sobre géneros, mas sempre teve medo de perguntar".

O documentário vai examinar o modo como o género foi visto ao longo dos séculos por civilizações antigas e as diferentes abordagens a este assunto pelo mundo fora e nos dias de hoje. Vai mergulhar em debates, dos mais pessoais – Em que idade nos apercebemos e aceitamos o nosso género? – aos mais públicos, e trazer à luz numerosas histórias sobre lutas, compreensão, ignorância, dor e amor.

O edição de janeiro de 2017 da revista National Geographic terá entrevistas e artigos que vêm este tema de diversas perspetivas. A revista pretende examinar as diferenças no espectro de géneros, olhando tanto para o que o determina e como o é percebido pelos indivíduos e pela culturas.

O escritor nova-iorquino Chip Brown vai olhar para o que a masculinidade e a transição entre a adolescência e idade adulta significam nos dias de hoje, através das experiências do seu filho de 15 anos, enquanto analisa os rituais de entrada na masculinidade em culturas tradicionais, que muitas vezes definem a masculinidade em termos de testes físicos, ou devoção religiosa.

A escritora Alexandra Fuller vai olhar para o que a experiência da sua filha adulta lhe poderá ensinar a ela e à sua outra filha adolescente sobre a pressão e as armadilhas de crescer no mundo de hoje.

Finalmente, a revista vai olhar para raparigas em lugares onde se mantêm tradições como a mutilação genital e onde os seus direitos são rejeitados e de que forma estão a superar essas dificuldades a alcançar novas posições na sociedade.