Cartaz de cinema

Katherine Heigl: o maior mau feitio de Hollywood

Publicado em 13 Set. 2013 às 15:37, por filmSPOT, em Notícias de cinema (Temas: Celebridades, Bastidores)

Katherine Heigl: o maior mau feitio de Hollywood

De estrela na série de televisão "Anatomia de Grey" passou a protagonista de comédias românticas no cinema, mas a reputação de pessoa difícil e os maus resultados de bilheteira reenviam-na agora para a casa de partida.

A bonita loura de ar fresco Katherine Heigl atingiu o estrelato em 2005 no papel da Dra. Izzie Stevens, personagem do drama médico "Anatomia de Grey", de Shonda Rhimes. Dois anos depois, o seu carisma e bom aspeto geral deram-lhe uma hipótese no grande ecrã na comédia "Knocked Up", ao lado de Seth Rogen.

O sucesso do filme de Judd Apatow abriu-lhe a porta para cinco longas-metragens como protagonista, a solo -"27 Dresses" e "One For the Money", ou na companhia de atores como Gerard Butler (The Ugly Truth), Ashton Kutcher (The Killers) e Josh Duhamel (Life As We Know It). 

A princípio, tudo correu sobre rodas: "27 Dresses" fez 160 milhões de dólares e "The Ugly Truth" rendeu para cima de 200 milhões em receita bruta. Mas a semente que provocou a queda de Heigl já tinha sido lançada.

Tudo começou pela saída de "Anatomia de Grey" após queixas sobre a qualidade do argumento. Prosseguiu com a confissão pública de que considerava "Knockep Up" sexista. A isso juntam-se os comentários de várias pessoas que trabalharam com ela de que Heigl é uma fonte interminável de queixas e exigências, que põe defeito em tudo, dos diálogos ao guarda roupa, e que a sua adorada mãe e agente, Nancy Heigl - que acompanha a Katherine desde criança quando ainda era modelo - é tão ou mais irritante e desbocada do que a filha.

Uma fonte não identificada contou ao The Hollywood Reporter que tipo de chamadas costumava receber de Nancy: "Vai-te f----. És um mentiroso de m----." E tudo servia de pretexto: "Este é o pior serviço que alguma vez tivémos! Não há nada para comer! É o pior guarda-roupa!". A mesma fonte conclui: "sabiamos que íamos ser arrasados, todos os dias. O pior disto tudo é que [Katherine Heigl] é muito talentosa e esperta."

Apesar do talento, bastaram três tropeções no box office e Katherine Heigl começou a ver as portas fecharem-se. Os resultados negativos de "Killers", "Life As We Know It" e "One For the Money" acabaram com a boa vontade dos produtores.

Apesar de ainda ter dois projetos de cinema alinhavados (a pequena produção independente "North of Hell" com Patrick Wilson e o drama "A Moment to Remember"), chegou a altura de Heigl repensar a carreira e regressar à televisão.

Em janeiro de 2012, Heigl confessou que gostaria de tentar um regresso a "Anatomia de Grey", mas o apelo não teve resposta.

O próximo passo envolve uma série para a NBC onde a atriz desempenha o papel de uma analista da CIA que comunica diretamente com o presidente dos EUA em alturas de crise. Apesar das reservas sobre o mau feitio continuarem, o canal deu luz verde para a produção do episódio-piloto.

Se o resultado agradar, a série talvez chegue aos ecrãs no outono de 2014.

Curtas Vila do Conde 2021