Cartaz de cinema

Jon Stewart diz que Hugh Grant é um chato

Publicado em 15 Dez. 2012 às 20:47, por filmSPOT, em Notícias de Televisão e Séries (Temas: Bastidores, Celebridades)

Jon Stewart diz que Hugh Grant é um chato

O apresentador do "Daily Show With Jon Stewart" escolheu o ator britânico como o pior que alguma vez passou pelo seu programa.

Stephen Colbert e Jon Stewart conversaram sobre a vida e a carreira durante um evento evento de recolha de fundos que decorreu no palco do Wellmont Theatre, em Montclair, no estado de New Jersey.

Entre as confissões de Stewart, despertou atenção a resposta a uma pergunta da audiência sobre os convidados menos agradáveis que passaram pelo programa.

"Tivemos a nossa quota de ditadores", disse, e contou que quando da sua passagem pelo "Daily Show", em 2009, o ator inglês Hugh Grant passou todo o tempo a lamentar-se de que tinha outros locais onde estar. "Passou o tempo todo com tretas e a ser um grande chato", relembra Stewart. Grant queixou-se mesmo do excerto do filme que ia promover e que fora selecionado pelo seu representante. Quando confrontado, Grant terá respondido "Que excerto é este? É horrível". Ao que Stewart retorquiu "Então, para a próxima, vê se fazes uma porra de filme melhor". O apresentador concluiu a resposta dizendo que Grant não voltaria a ser convidado para o programa.

Stewart falou ainda de como foram difíceis os primeiros tempos no Daily Show quando, em 1999, substituiu Craig Kilborn e deu um novo rumo ao que, até então, era apenas o programa de notícias do canal de humor Comedy Central.

"Não tinha percebido como eram idiotas algumas pessoas que trabalhavam no programa", referiu o apresentador a propósito do primeiro contacto com a equipa de argumentistas e produtores. A resistência à mudança para o tom satírico que Jon queria imprimir ao programa foi de tal ordem que quase o levou a abandonar o programa. Durante uma conversa telefónica com o seu agente chegou mesmo a pedir: "Tira-me daqui. Esta gente é louca". De acordo com Stewart, terá levado dois anos e meio a separar o trigo do joio até ficar com uma equipa que o apoiasse totalmente.