Cartaz de cinema

"Iraque: Longe de Casa": incursão do National Geographic nas séries dramáticas chega em novembro

Publicado em 25 Out. 2017 às 19:30, por , em Notícias de Televisão e Séries (Temas: Estreias)

"Iraque: Longe de Casa": incursão do National Geographic nas séries dramáticas chega em novembro

O canal conhecido pelas séries documentais lança-se nos dramas ficcionados. A série baseada em eventos ocorridos durante a ocupação do Iraque estreia a 5 de novembro.

"Iraque: Longe de Casa" é a nova minissérie dramática do National Geographic que, no dia de estreia, vai ser exibida em simultâneo na FOX.Baseado no best-seller da jornalista Martha Raddatz, é composta por oito episódios onde aparecem caras conhecidas como Michael Kelly ("House of Cards"), Jason Ritter ("Parenthood"), Kate Bosworth ("Super-Homem: O Regresso"), Sarah Wayne Callies ("Prison Break" e "The Walking Dead"), Noel Fisher ("No Limite") e Jeremy Sisto ("Lei e Ordem").

Os acontecimentos nela relatados tiveram lugar a 4 de abril de 2004, quando um pequeno pelotão de soldados da 1ª divisão, com origem em Fort Hood, no Texas, foi ferozmente emboscado no labiríntico subúrbio de Sadr City, Bagdade. Um dia que viria a ficar conhecido pelos militares americanos como "Black Sunday" (Domingo Negro).

A série oferece aos espectadores uma janela íntima sobre a experiência da guerra vista através dos olhos e dos corações dos soldados e das famílias que aguardavam em casa. É uma jornada repleta de adrenalina e emoção que segue o campo de batalha em duas frentes: as caóticas ruas de Sadr City, onde um grupo de jovens soldados inexperientes enfrentam um inesperado ataque; e a frente familiar na base em Fort Hood, no Texas, os familiares desesperam por notícias dos seus entes queridos. "Iraque: Longe de Casa" conta a história destes soldados e daqueles que estiveram presentes nas três missões de resgate concebidas para os salvar.

Os homens da Task Force Lancer estavam com calor, cansados e preparados para voltar à base depois de um longo dia de escolta aos camiões iraquianos numa missão de rotina em Sadr City, nos subúrbios de Bagdade.

Para muitos, era o primeiro dia de patrulha e o quarto dia no país para o que seria um ano inteiro no sítio denominado, não oficialmente, de "o lugar mais seguro do Iraque". Seria uma missão pacífica, mais um esforço para conquistar os corações e mentes dos iraquianos após o derrube do regime de Saddam Hussein.

Eram quase seis da tarde, a 4 de abril de 2004.

A milhares de quilómetros de distância, em Fort Hood, as famílias aproveitavam uma agradável manhã de primavera.

Os dias precedentes foram tensos. Manifestantes encheram as ruas, alguns deles empunhando espadas e armas de fogo. A equipa de iraquianos que tratavam dos camiões foram afugentados por ameaças vindas dos seus compatriotas. Os soldados americanos estava mais do que prontos para voltar à base, mas foram enviados para mais uma viagem até à mesquita onde tinham sido relatados alguns distúrbios. As ruas agitadas estavam, de repente, vazias.

Os primeiros tiros pareciam pipocas. Em poucos minutos, uma tempestade de projéteis rapidamente mataria um dos homens, incapacitaria dois dos quatro veículos e colocaria os restantes membros do pelotão numa batalha pelas suas vidas.

Em desvantagem numérica à medida que avançavam pelas ruas de Sadr City, com disparos de todas as direções, voltar à base não era uma opção. Os  homens dirigem-se a uma rua onde podem ter cobertura e onde se podem reagrupar e esperar por reforços.

Entretanto, em Camp War Eagle, a base de operações da divisão, prepara-se um plano de resgate. Rapidamente, as tropas ocupam camiões armados e blindados para dar resposta aos diversos obstáculos que iam encontrar, mas ruas bloqueadas complicaram a missão, impedindo-os de abrir caminho até ao grupo em dificuldades e tornando-os ainda mais vulneráveis ao fogo inimigo.

No entanto, nenhum obstáculo deteve os homens das unidades Alpha e Charlie. Mesmo no pico da batalha e com os feridos a voltarem a Camp War Eagle em veículos desfeitos e ensanguentados, não desistiram da missão de salvar os soldados emboscados.

No final do dia, os americanos contaram oito mortos 65 feridos.

Em Fort Wood, à medida que as primeiras notícias começaram a aparecer na televisão, começou uma batalha diferente. A informação era escassa; as famílias começavam a ficar ansiosas.

Iraque: Longe de Casa" tem estreia mundial no domingo, 5 de novembro, às 22h30 com a emissão dos dois primeiros episódios - Caminho Para a Guerra" e "O Olho da Tempestade".

 

Resumo dos episódios a emitir em novembro:

Iraque: Longe de Casa - Rumo ao Desconhecido

Domingo, 12 de novembro, às 22h30

A determinação de Denomy é testada quando lidera a primeira operação de resgate em Sadr, sob fogo intenso. Volesky lança a segunda missão. Ambas sofrem baixas, enquanto Aguero e os seus homens têm dificuldade em manter a  posição no interior de uma casa iraquiana. Entretanto, em Forte Hood, Gina Denomy enfrenta desafios como líder do Grupo de Apoio Familiar e mãe de um recém-nascido.

Iraque: Longe de Casa - No Vale da Morte

Domingo, 19 de novembro, às 22h30

Miltenberger e os seus homens estão presos na cidade sob condições cada vez mais adversas à medida que a noite cai. Denomy e Volesky reagrupam-se para outra tentativa de resgate enquanto Aguero e os seus homens se preparam para o combate. Notícias da emboscada chegam à casa dos Miltenbergers. LeAnn e Gina tentam tranquilizar as famílias angustiadas.

Iraque: Longe de Casa - A Escolha

Domingo, 26 de novembro, às 22h30

O passado atribulado do intérprete Jassim al-Lani é revelado e a sua lealdade é posta à prova. As tensões crescem na casa do beco, à medida que os insurgentes mudam de tática e forçam Aguero a tomar uma decisão que deixará marcas para sempre. De volta a Fort Hood, LeAnn e Gina descobrem a acumulação de baixas e preparam-se para o pior.