Cartaz de cinema

História de uma família de latifundiários representa Portugal nos Óscares

Publicado em 11 Set. 2019 às 16:45, por , em Notícias de cinema (Temas: Cinema Português, Oscars, Temporada de prémios)

História de uma família de latifundiários representa Portugal nos Óscares

"A Herdade", de Tiago Guedes, foi escolhido pelos membros da Academia Portuguesa de Cinema para integrar a lista de candidatos a uma nomeação.

A longa-metragem "A Herdade", do realizador Tiago Guedes, é o candidato de Portugal a uma nomeação para o Óscar de melhor filme estrangeiro em 2020, anunciou hoje a Academia Portuguesa de Cinema (APC).

De acordo com um comunicado da Academia Portuguesa de Cinema, o filme foi escolhido pelos seus membros para representar Portugal na categoria de Melhor Filme Internacional nos Óscares da Academia Americana de Cinema para o próximo ano.

O filme teve estreia mundial na competição oficial do 76.º Festival de Cinema de Veneza, que terminou no sábado, onde o realizador Tiago Guedes foi distinguido com o Prémio Bisato d'Oro da crítica independente para Melhor Realização.

"A Herdade", filme produzido por Paulo Branco, encontra-se agora no Festival de Toronto TIFF, marcando a primeira vez que um filme português é selecionado para a secção Special Presentations do festival.

A estreia em Portugal está marcada para 19 de setembro.

"A Herdade" conta a "saga de uma família proprietária de um dos maiores latifúndios da Europa, na margem sul do rio Tejo, (...) fazendo o retrato da vida histórica, política, social e financeira de Portugal, dos anos 40 (do século passado), atravessando a revolução do 25 de Abril e até aos dias de hoje", segundo a sinopse.

Com argumento de Rui Cardoso Martins e Tiago Guedes, com a colaboração de Gilles Taurand, o elenco é composto por Albano Jerónimo, Sandra Faleiro, Miguel Borges, João Vicente, Ana Bustorff, Beatriz Brás, entre outros.

Para o presidente da APC, Paulo Trancoso, citado no comunicado, "nos últimos dois anos o cinema português tem vindo a afirmar-se no plano nacional e internacional, não só por manter uma presença constante e destacada em festivais de cinema onde Portugal não participava há vários anos, mas também pelo crescente número de espectadores que acorrem às salas para ver filmes portugueses".

De acordo com o responsável, "este ano, até agora a produção nacional levou às salas cerca de 490 mil espetadores, um aumento impressionante face aos 145 mil espetadores contabilizados no mesmo período em 2018".

"Todos os filmes que estavam nomeados à candidatura de Portugal para os Óscares - "Raiva" de Sérgio Tréfaut, "Parque Mayer" de António-Pedro Vasconcelos e "Variações" de João Maia - são filmes que demonstram a vitalidade e diversidade inequívoca do cinema português", acrescenta.

A 92ª cerimónia de entrega dos Óscares decorrerá no dia 09 de fevereiro de 2020, no teatro Dolby, em Los Angeles.

Durante o evento, a Academia Americana de Cinema distribuirá prémios em 24 categorias.

O filme de Tiago Guedes é também o candidato português escolhido pela APC a uma nomeação para os Goya - os prémios de cinema de Espanha - na categoria de melhor filme ibero-americano, com cerimónia está prevista para 25 de janeiro de 2020, em Málaga.