Cartaz de cinema

"Greetings from Free Forests" e "Terra" vencem o Doclisboa 2018

Publicado em 28 Out. 2018 às 09:51, por , em Notícias de cinema (Temas: Festivais de cinema)

"Greetings from Free Forests" e "Terra" vencem o Doclisboa 2018

O palmarés do festival foi conhecido na noite de sábado, durante a cerimónia de encerramento no cinema São Jorge.

As marcas da Segunda Guerra Mundial nas florestas da Eslovénia serviram de tema para "Greetings from Free Forests", realizado por Ian Soroka, vencedor do prémio de melhor filme na competição internacional do Doclisboa 2018. Quanto à competição portuguesa, o prémio de melhor filme foi atribuído a "Terra", de Hiroatsu Suzuki e Rossana Torres, que desvenda os ancestrais métodos de produção de carvão no Guadiana.

O palmarés da edição 2018 do festival de cinema documental foi conhecido na noite de sábado, durante a cerimónia de encerramento que teve lugar no Cinema São Jorge. A ocasião serviu também para o anúncio das atividades da APORDOC

Competição Internacional

Melhor filme: "Greetings From Free Forests", Ian Soroka (EUA, Eslovénia, Croácia)

Prémio do Júri: "The Guest", Sebastian Weber (Polónia)

Competição Portuguesa

Melhor filme: "Terra", Hiroatsu Suzuki, Rossana Torres (Portugal)

Prémio do Júri: "Pele de Luz", André Guiomar (Portugal)

Menção honrosa: "Vacas e Rainhas", Laura Marques (Portugal)

Prémio Escolas: "Terra Franca", Leonor Teles (Portugal)

Competição Transversal

Prémio revelação para melhor primeira longa-metragem: "Cidade Marconi", Ricardo Moreira (Portugal)

Menção Honrosa: "Amanecer", Carmen Torres (Colômbia, Espanha)

Menção Honrosa: "Paul is Dead", Antoni Collot (França)

Melhor curta-metragem: "The Guest", Sebastien Weber (Polónia)

Prémio do Público para melhor filme português: "Vadio", Stefan Lechner (Portugal)

Prémio Fundação Inatel: "Vacas e Rainhas", Laura Marques (Portugal)

Competição Verdes Anos

Melhor filme: "After the Fire", Ahsan Mahmood Yunus (Portugal)

Prémio Especial do Júri: "Aos Meus Pais", Melanie Pereira (Portugal)

Melhor realização: "Song of the Bell", Hosein Jalilvand (Hungria, Portugal, Bélgica)

Na cerimónia de encerramento do Doclisboa"18, a direcção do festival revelou ainda as principais actividades da APORDOC - Associação pelo Documentário, entidade organizadora do certame, previstas para o próximo ano:

  • Distribuição do filme "Chuva É Cantoria Na Aldeia dos Mortos", de João Salaviza e Renée Nader Messora. Em conjunto com a Desforra Apache, a APORDOC fará a distribuição do filme nas salas de cinema portuguesas, em Março de 2019. "Chuva é Cantoria Na Aldeia dos Mortos" teve a sua estreia na última edição do festival de Cannes, onde venceu o Prémio do Júri, na secção Un Certain Regard. A estreia do filme será acompanhada por uma série de actividades paralelas, incluindo uma exposição no Centro Internacional das Artes José de Guimarães, em Guimarães;
  • 6.doc, a partir de Janeiro no Cinema Ideal. Entre Janeiro e Junho, o Doclisboa, em parceria com o Cinema IDEAL, irá apresentar o 6.doc, que estreará naquela sala filmes apresentados na nesta edição do festival, num programa de grande diversidade. Os filmes estarão em exibição comercial durante uma semana e algumas sessões serão acompanhadas por conversas com realizadores e/ou convidados;
  • Mostra de Cinema Ameríndio. De 13 a 17 de Março, o Doclisboa, o CRIA, o CHAM e o ICS unem-se para, com diversas entidades brasileiras, trazer a Lisboa cinema ameríndio nunca antes exibido por cá. A mostra, que terá lugar na Fundação Calouste Gulbenkian, contará com a presença de vários realizadores que discutirão os seus filmes com o público.

Os filmes premiados do Doclisboa 2018 poderão ser vistos no Cinema Ideal, a 29,30 e 31 de Outubro, nas sessões das 18h00 e das 22h15.