Cartaz de cinema

"Game of Thrones", "Fleabag" e "Chernobyl" vencedores na noite dos Emmys 2019

Publicado em 23 Set. 2019 às 04:27, por , em Notícias de Televisão e Séries (Temas: Temporada de prémios)

"Game of Thrones", "Fleabag" e "Chernobyl" vencedores na noite dos Emmys 2019

Algumas surpresas, humor, e o adeus a séries que dominaram os gostos do público nos últimos anos marcaram a noite de entrega de prémios da academia norte-americana de televisão.

Não há como dizê-lo de outra forma, os Emmys são mais divertidos de ver do que os Óscares. Na normalmente aborrecida paisagem das cerimónias de entrega de prémios, estão adiante das vetustas e enfadonhas estatuetas da Academia e dos refrescantemente informais, mas quase sempre anedóticos, Globos de Ouro da imprensa estrangeira em Hollywood.

É verdade, copiaram a gente do cinema ao não terem um anfitrião designado, mas deram a volta ao texto de forma estimulante com a entrada em falso de Homer Simpson - esmagado por um piano de cauda um minuto após surgir em cena - seguida pela intervenção de Anthony Anderson (de "Black-ish") numa operação de resgate do espectáculo que culminaria no empurrar de um desprevenido Bryan Cranston (a lenda de "Breaking Bad") para o que viria a ser o tradicional monólogo inicial. Com os primeiros passos de Neil Armstrong na Lua em fundo, Cranston dissertou sobre a força e o poder da televisão terminando com o mantra do momento: "a televisão nunca foi tão boa!".

Depois, a coisa fluiu e... surpresa das surpresas, durante algum tempo conseguiu ser interessante. Claro que não foi possível contornar os discursos de aceitação, as bocas políticas e as quebras de ritmo provocadas pelos sucessivos intervalos publicitários, mas os Emmys fizeram rir a valer, rindo-se de si mesmos e do formato.

Logo a começar pela figura do "comentador dos Emmys", interpretado pelo humorista Thomas Lennon, voz off entre categorias e hilariante criador de apartes sobre a cerimónia.

Maya Rudolph e Ike Barinholtz contribuíram com um dos melhores momentos da noite ao apresentarem-se como se tivessem sido operados à vista e trocaram os nomes dos candidatos ao Emmy de melhor ator numa comédia. Já o duo dos talk shows Colbert e Kimmel queixou-se do fim dos anfritrões e antecipou o trágico momento em que Alexa, a assistente virtual da Amazon, passaria a anunciar os nomeados.

À medida que a cerimónia avançou, o fulgor inicial foi-se perdendo e o programa terminou em velocidade de cruzeiro, num registo comum e aborrecido. No entanto, a momentos, as ideias lançadas pelos Emmys mostraram haver esperança para os programas de entrega de prémios.

Quanto aos vencedores da noite, nas principais categorias, as maiores surpresas foram "Fleabag", melhor comédia; Billy Porter, melhor ator dramático pelo papel em "Pose"; e Julia Garner a superiorizar-se à armada de Winterfell para triunfar entre as secundárias dramáticas.

A relação de vencedores dos Emmys nas principais categorias foi a seguinte:

  • Série Dramática: "Game of Thrones" (HBO)
  • Série de Humor: "Fleabag" (Amazon Prime)
  • Minissérie: "Chernobyl" (HBO)
  • Filme para televisão: "Black Mirror: Bandersnatch" (Netflix)
  • Melhor ator (drama): Billy Porter ("Pose")
  • Melhor atriz (drama): Jodie Comer ("Killing Eve")
  • Melhor ator (comédia): Bill Hader ("Barry")
  • Melhor atriz (comédia): Phoebe Waller-Bridge ("Fleabag")
  • Melhor ator numa minissérie ou filme para televisão: Jharrel Jerome ("When They See Us")
  • Melhor atriz numa minissérie ou filme para televisão: Michelle Williams ("Fosse/Verdon")
  • Melhor atriz secundária (drama): Julia Garner ("Ozark")
  • Melhor ator secundário (drama): Peter Dinklage ("Game of Thrones")
  • Melhor atriz secundária (comédia): Alex Borstein ("The Marvelous Mrs. Maisel")
  • Melhor ator secundário (comédia): Tony Shalhoub ("The Marvelous Mrs. Maisel")
  • Melhor atriz secundária numa minissérie ou filme para televisão: Patricia Arquette ("The Act")
  • Melhor ator secundário numa minissérie ou filme para televisão: Ben Whishaw ("A Very English Scandal")
  • Melhor reality show: "RuPaul's Drag Race" (VH1)
  • Melhor talk show de variedades: Last Week Tonight with John Oliver (HBO)