Cartaz de cinema

Filmes para não rir: terceira edição do Festival Triste Para Sempre de 1 a 4 de julho na Fábrica Braço de Prata

Publicado em 17 Jun. 2021 às 15:20, por filmSPOT, em Notícias de cinema (Temas: Festivais de cinema)

Filmes para não rir: terceira edição do Festival Triste Para Sempre de 1 a 4 de julho na Fábrica Braço de Prata

Entre 1 e 4 de julho, a Fábrica Braço de Prata recebe a terceira edição do "Triste Para Sempre", um festival de cinema que pretende dar espaço à tristeza na cidade de Lisboa.

O objetivo, é promover o cinema independente e de autor, apresentando filmes realizados nos últimos dois anos, tanto nacionais como internacionais. As escolhas da organização recaem sobre as várias dimensões da tristeza. O festival ambiciona levar a tristeza ao grande ecrã, e normalizar a vivência com este sentimento denso e complexo que a todos toca.

O "Triste Para Sempre" é composto sobretudo por curtas-metragens que competem pelos prémios Lágrima Nacional e Lágrima Internacional. Além de um painel de jurados que avalia e atribui os prémios, o público também é convidado a votar na Lágrima do Público.

A edição 2021 conta com duas longas-metragens e 31 curtas-metragens que compõem as duas secções competitivas: nacional e internacional. Assim, o Triste íntegra oito sessões, cada uma com um tema díspar, variando entre saúde mental, nostalgia, morte, solidão, ou a dicotomia partir/ficar.

Destaques para "Eva", de Bernardo Lopes, caracterizado pelo silêncio gritante da personagem principal, ilustrando o sofrimento de uma relação abusiva e "Beekeeper", de William McGregor, retrato da história real de uma tratadora de abelhas do País de Gales que enfrenta a perda iminente do trabalho de uma vida face à construção de uma central nuclear.

Para o encerramento, o "Triste Para Sempre" exibe as longas-metragem "Les Statues de Fortaleza", de Fabien Guillermont, um documentário que aborda a questão dos refugiados venezuelanos no Brasil e a crise humanitária que estes enfrentam, e "Pelas Mãos de Quem Me Leva", de João Côrtes, sobre uma rapariga órfã de 22 anos que na sua perda e solidão, conhece um homem mais velho que traz mudanças à sua vida.

Cada sessão é limitada a 50 lugares.

Curtas Vila do Conde 2021