Cartaz de cinema

Festival "Olhares do Mediterrâneo" - terceira edição continua aposta no cinema no feminino

Publicado em 13 Set. 2016 às 12:54, por , em Notícias de cinema (Temas: Festivais de cinema)

Festival "Olhares do Mediterrâneo" - terceira edição continua aposta no cinema no feminino

Ao todo serão 33 filmes, debates, workshops, performances e uma exposição que constituem o âmago da  3ª edição do Festival Olhares do Mediterrâneo – Cinema no feminino, a decorrer de 29 de setembro a 2 de outubro, no Cinema São Jorge.

O filme oficial de abertura do é uma obra documental vencedora de vários prémios, da autoria de Evangelia Kranioti, que também assina o argumento e a direcção de fotografia. A trama de "Exotica, Erotica, Etc.", sobre a vida dos marinheiros em alto mar e os seus encontros amorosos fortuitos, demorou nove anos a ser concluída, implicando mais de 20 viagens e 450 horas de filmagem.

A entrada para este filme é gratuita.

Ao longo dos quatro dias de Festival, serão exibidas nove longas e 24 curtas-metragens, de géneros cinematográficos diversos, incluindo documentários, ficção e animação. Neste quadro, realizadoras como Dima AL-Joundi, do Líbano, Isabel Fernández, de Espanha, Rosa Rogers, de Inglaterra, e Merième Addou, de Marrocos, entre outras, estarão presentes para participarem em debates subordinados aos temas dos respectivos filmes.

A maior novidade da edição deste ano do Festival chega com a secção "Travessias", dedicada aos refugiados e às migrações forçadas. A secção é composta por oito filmes, quatro debates, acolhimento da ONG SOS Méditerranée France e uma exposição fotográfica "Olhares que nos habitam", construída através do olhar de um grupo de jovens mulheres refugiadas, oriundas de países em contexto de guerra e residentes em Portugal.  

A 2 de Outubro, antes da exibição do filme de encerramento "Kusursuzlar", da Turquia, serão revelados os vencedores dos prémios desta edição.

Na competição geral, o júri para a melhor longa-metragem e curta-metragem é composto pela actriz Rita Blanco, pelo programador Adriano Smaldone e pelo montador/editor Tomás Baltazar.

O prémio para o melhor filme da secção Travessias será atribuído por João Afonso, vereador da CML, Margarida Moz, programadora, e Raquel Freire, realizadora.

O público será também convidado a votar no melhor filme.

A par das sessões de cinema, para o público em geral e escolas, e da secção Travessias, foi desenvolvida uma programação paralela diversificada, com actividades para miúdos e graúdos, composta por: um workshop de culinária "Nem Acredito que É Saudável", com Sara Oliveira; o atelier de cinema "Olhares em Pequenino", com Maria Remédio; a oficina "Falsos Amigos", pelo Instituto Cervantes; uma cerimónia do chá, promovida pela Embaixada de Marrocos; um concerto pelo Coro Feminino de Lisboa; a conferência "As pessoas no Mediterrâneo"; e ainda mercados de livros, artesanato e sabores.