Cartaz de cinema

Está aí o Monstra 2021

Publicado em 22 Jul. 2021 às 20:22, por filmSPOT, em Notícias de cinema (Temas: Festivais de cinema)

Está aí o Monstra 2021

A 20.ª edição do Festival de Animação de Lisboa terá sessões ao ar livre, antestreias, clássicos e novas salas onde serão apresentados 480 filmes.

O MONSTRA - Festival de Animação de Lisboa realiza a 20.ª edição de 21 de julho a 1 de agosto. Este ano, o festival chega a novas salas da cidade de Lisboa, como o Capitólio, programa sessões de cinema ao ar livre e presta uma grande homenagem ao cinema de animação belga. Ao todo, em 2021, vão ser exibidos cerca de 480 filmes de animação.

É no Dia Nacional da Bélgica, 21 de julho, que o festival Monstra inicia mais uma edição, uma data simbólica para homenagear a cinematografia deste país.

"Queremos prestar homenagem a um país que muito tem contribuído para o desenvolvimento do cinema de animação. Foi há 190 anos que em Bruxelas Joseph Plateau inventou o fenacistoscópio, o primeiro brinquedo óptico com movimento que está na génese da criação do cinema", justifica Fernando Galrito, diretor artístico do festival.

À Bélgica vão ser dedicadas várias sessões de longas e curtas-metragens, numa programação que inclui uma importante parceria com o Festival Anima de Bruxelas, que completa 40 anos. Entre os filmes programados estão "Harpya", de Raoul Servais, que em 1979 ganhou uma Palma de Ouro em Cannes, ou uma retrospectiva da adaptação ao cinema de animação de sucessos da banda desenhada belgas, onde constam personagens como Tintim, ou Lucky Luke.

Em antestreia nacional, é ainda exibida a comédia infantil "The Bigfoot Family", o mais recente filme do belga Ben Stassen, que já esteve no festival em 2019 a apresentar "Cai na Real, Corgi".

A competição internacional de longas-metragens é composta por quatro filmes europeus e um japonês.

"Calamity a infância de Martha", de Rémi Chayé (Cristal de Melhor longa-metragem em Annecy 2021) é uma coprodução franco-dinamarquesa sobre a história de uma família que vai viver para o oeste dos Estados Unidos no século XIX.

Em estreia nacional o mais recente filme de Goro Miyazaki, "Aya e a Feiticeira", resulta de uma coprodução entre os Estúdios Ghibli e o canal de televisão japonês NHK, sobre uma menina de 10 anos órfã, que é adoptada por uma bruxa.

O ilustrador francês Aurel apresenta "Josep", a sua primeira longa-metragem sobre dois espanhóis que, no final dos anos 30, fogem à ditadura franquista para se fixar em França.

"O nariz ou a conspiração dos dissidentes", do realizador russo Andrey Khrzhanovsky é baseado no conto "O Nariz" de Nikolai Gógol e é dedicado aos pioneiros e inovadores na arte.

Por fim, integra a competição de longas-metragens "Wolfwalkers", filme irlandês que envolve superstição e magia, realizado pelo premiado Tomm Moore (A Canção do Mar) e Ross Stewart, candidato ao Oscar e ao Annie, nunca antes apresentado em sala em Portugal.

A Competição Portuguesa é composta por 11 curtas-metragens, uma seleção dos melhores filmes profissionais de autores portugueses realizados no último ano e que se apresentaram ao concurso do Monstra 2021.

"The Monkey", filme de Lorenzo Degl"Innocenti e Xosé Zapata, uma coprodução entre Portugal e Espanha, que teve estreia na edição anterior da Monstra fora competição, vai ser apresentado novamente ao público.

O realizador Pedro Serrazina vai ter dois filmes em competição, "Lote B" e "Heróis da Comunidade: Muhammad Munir". O realizador e ilustrador João Fazenda vai apresentar "Mesa" e Luís Soares apresenta o seu mais recente filme, "Suspensão". Depois de ter sido exibido em 56 festivais internacionais e de ter recebido 12 prémios é exibido "Elo Tie", da realizadora Alexandra Ramires. Já Joana Toste apresenta pela primeira vez em Lisboa a sua mais recente curta, "A Menina Parada". Nesta secção vão ser ainda exibidos os filmes "Wanna Be Basquiat", de João Pombeiro, "Palavras Gastas", de Maria Giraldes, "Solstício", de Bruno Carnide e "Seja Como For", de Catarina Romano.

O festival exibe e repõe ainda algumas obras marcantes da animação japonesa deste país: "A viagem de Chihiro", do premiado Hayao Miyazaki, "Millennium Actress", de Satoshi Kon, filme de 2001, "Miss Hokusai", de Keiichi Hara e que em 2016 ganhou o Grande Prémio Monstra, e o clássico "Memórias de Ontem", de Isao Takahata, uma produção Ghibli de 1991.

Ainda do Japão, mas na secção Históricos, vai ser apresentado "Final Fantasy", uma coprodução japonesa e americana que adaptou ao cinema um dos mais populares jogos de vídeo do final do século XX.

Depois da exposição de Tim Burton, que esteve patente no ano passado no Museu da Marioneta, em Lisboa, o Monstra apresenta dois clássicos da Disney, que em 2021 completam 80 e 70 anos, e os remakes pelas mãos do realizador norte-americano. Assim, o público poderá ver as versões originais e as versões recentes de "Dumbo" (1941 e 2019) e "Alice no País das Maravilhas" (1951 e 2010). Ainda nesta secção, vão ser exibidos os filmes "Acordar para a Vida", do célebre realizador norte-americano Richard Linklater, "Quando o Vento Sopra", de Jimmy T. Murakami, e "Rugas", de Ignacio Ferreras, entre outros.

Em complemento ao festival, no Museu da Marioneta, em Lisboa, inaugura a 16 de julho a exposição do filme português "O Crime Peculiar do Estranho Sr. Jacinto" de Bruno Caetano, que em 2020 recebeu uma Menção Honrosa no festival Monstra. A exposição inclui marionetas, acessórios e cenários, storyboards e concept boards, desta multipremiada curta portuguesa.

De 21 de julho a 1 de agosto o MONSTRA vai ter sessões no Cinema São Jorge, Cinema City Alvalade, Cinema Ideal, Cinemateca Portuguesa - Museu do Cinema, Cinemateca Júnior e no Capitólio.

Curtas Vila do Conde 2021