Cartaz de cinema

Destaques da programação da RTP2 (20 a 26 de novembro 2017)

Publicado em 16 Nov. 2017 às 15:09, por , em Notícias de Televisão e Séries

Destaques da programação da RTP2 (20 a 26 de novembro 2017)

A RTP2 tem uma semana recheada de documentários, séries, filmes, dança, teatro, música e animação.

Para a próxima semana, a RTP2 promete programas sobre a natureza e a vida selvagem como "Hunan, o outro mundo de Avatar" sobre o Parque Nacional Zhangjiajie, que inspirou o filme "Avatar"; "Clube de Combate: a origem", sobre a luta diária pela sobrevivência no reino animal; e "New Life" sobre as várias estratégias de sobrevivência.

Nos documentários, está prevista a exibição de "António Capela – Casa dos Violinos" sobre uma família portuguesa de "luthiers" que há mais de cem anos constrói e repara violinos, violas de arco e violoncelos para todo o mundo; "Cuba, a memória de Fidel" quando passa um ano sobre a morte do líder cubano e "Agarrando Pueblo" incluído na programação da Lisboa Capital Ibero-americana da Cultura 2017.

Quanto ao cinema de ficção filmes, a RTP2 exibe na próxima semana "11 Minutos", do cineasta polaco Jerzy Skolimowski; "As Nuvens de Sils Maria" com Juliette Binoche; e "O Encantado" do cineasta português Miguel Gomes, último volume da trilogia "As Mil e uma Noites".

Abaixo, pode conferir os horários destes e de outros programas.

 

Mistérios de Lisboa

Segunda, 20 de novembro, 13h00

Série

"Mistérios de Lisboa" é uma minissérie de 6 episódios, do cineasta chileno Raúl Ruiz (1941-2011), baseada no romance homónimo de Camilo Castelo Branco (1825-1890) "em que os pecadores podem ascender à virtude, e a virtude se conquista através de sofrimentos e lágrimas". Um turbilhão imparável de aventuras e desventuras, coincidências e revelações, paixões, amores proibidos e vinganças, com Adriano Luz, Maria João Bastos, Ricardo Pereira, Clotilde Hesme, Afonso Pimentel, São José Correia, Léa Seydoux, Rui Morisson e Catarina Wallenstein, entre outros.

Pedro, um órfão de 14 anos, vai descobrir a sua identidade e conhecer a trágica história da sua vida. Histórias de amor, paixão, crime e adultério que se cruzam e atravessam todo o século XIX. O padre Dinis, que de aristocrata e libertino se converte em justiceiro, uma condessa roída pelo ciúme e sedenta de vingança e um pirata sanguinário que se tornou num próspero homem de negócios.

 

Hunan, o outro mundo de Avatar (estreia)

Segunda, 20 de novembro, 15h30

Documentário

O Parque Nacional Zhangjiajie, na província de Hunan no sudoeste da China, é um dos mais belos parques do mundo. Mais de 3000 picos erguem-se em direção ao céu, numa paisagem misteriosa que toca as fronteiras do irreal. Aqui, o tempo parece ter parado na beleza. Este lugar mágico de ilhas suspensas serviu de inspiração ao cineasta americano James Cameron (Ontário, 1954) para o filme Avatar. Um documentário fantástico, da realizadora Laurence Thiriat, que nos leva numa fabulosa viagem ao encontro da cultura do povo Miao, uma minoria étnica do "Império do Meio", que ainda vive ao ritmo das tradições. As danças, os trajes e os bastidores de um dos mais importantes festivais deste povo único. Uma história de outro mundo tão fascinante como a de Avatar.

 

11 Minutos (2015) - estreia

Segunda, 20 de novembro, 23h30

Filme

Uma cadeia de acontecimentos completamente inesperados acaba por determinar o destino de várias personagens em apenas 11 minutos. Um filme do cineasta polaco Jerzy Skolimowski ("O Uivo", "Quatro Noites com Anna", "Essential Killing - Matar para Viver").

Num dia como outro qualquer, várias pessoas em Varsóvia (Polónia) prosseguem as suas vidas, desatentas à inesperada cadeia de acontecimentos que irá traçar o seu destino em apenas 11 minutos. Uma atriz que tem um encontro com um realizador de cinema e é perseguida pelo marido ciumento, um estudante determinado em cumprir uma misteriosa missão, um vendedor de cachorros quentes que recorda o passado, um empregado de limpeza, um traficante, um idoso, uma equipa de paramédicos e um grupo de freiras. Histórias aparentemente separadas mas que se interligam no destino de cada um.

 

Clube de Combate: a origem (estreia)

Terça, 21 de novembro, 15h30

Documentário

No reino animal a vida é uma luta diária pela sobrevivência. Há muitos motivos pelos quais os animais lutam e cada um tem as suas próprias armas e regras. Geralmente lutam para defender o território, garantir uma refeição ou impressionar um parceiro. A vida é uma batalha sem fim para todas as criaturas, não importa o seu tamanho.

 

Asia Exposed (estreia)

Terça, 21 de novembro, 16h30

Série documental

Série documental onde fotógrafos consagrados são desafiados a registar situações completamente fora do seu quotidiano. Através da lente da máquina fotográfica retratam temas por vezes chocantes e muito atuais. Nada está fora dos limites: uma prisão feminina, o terceiro género, a toxicodependência, a doença mental, o tabagismo infantil ou a prostituição.

 

New Life (estreia)

Quarta, 22 de novembro, 15h30

Série documental

Na vida selvagem os animais estão sempre em perigo, alguns nascem para correr, outros para caçar e outros para disfrutar o mundo aquático, dominar as adaptações do seu corpo, encontrar comida e fugir do perigo. Documentário de 3 episódios que nos leva pelas diferentes estratégias de sobrevivência e desafios da vida animal.

 

Lixo extraordinário (2010) - estreia

Quarta, 22 de novembro, 23h00

Filme documental

Vik Muniz (São Paulo, 1961) é um consagrado artista plástico brasileiro que cria fotografias utilizando objetos dos locais onde as pessoas vivem e trabalham. É conhecido por usar materiais inusitados como lixo, açúcar ou chocolate.

Galardoado com vários prémios internacionais, "Lixo Extraordinário", dos cineastas Lucy Walker (Londres, 1970), João Jardim (Rio de Janeiro, 1964) e Karen Harley (Recife, 1965), acompanha durante dois anos o trabalho do artista na produção de obras com material recolhido na maior lixeira do mundo, o Jardim Gramacho no Rio de Janeiro.

No Jardim Gramacho, milhares de pessoas vivem no lixo e do lixo. Homens e mulheres procuram material reciclável para vender, em condições inacreditavelmente desumanas. A proposta inicial do artista era produzir retratos dos catadores de lixo mas o projeto acaba por ganhar uma outra dimensão devido à maneira profunda e sensível com que Muniz se relaciona com os trabalhadores do aterro.

Ao longo de dois anos, com o lixo recolhido, criou obras de arte extraordinárias e transformou a vida dos sete catadores de lixo que participaram no projeto. Com o seu trabalho, Muniz dá uma nova força e dignidade aos trabalhadores do lixo e revela o poder transformador da arte.

 

Portugal que dança

Quinta, 23 de novembro, 23h00

Série documental

Série documental sobre a nova geração de coreógrafos e criadores portugueses, com realização de Cristina Ferreira Gomes e autoria de Luiz Antunes. Uma viagem ao universo de cada criador, trazendo à luz processos e visões no cruzamento de diferentes disciplinas artísticas.

O documentário apresenta a evolução do trabalho de João dos Santos Martins (Santarém, 1989). Acompanha a preparação e apresentação pública de "Autointitulado" e segue o coreógrafo para o desafio seguinte: a preparação de uma nova criação nos Açores. Paisagens açorianas anunciam uma nova geografia. No Teatro Micaelense, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, o criador lidera o dia-a-dia de composição com as bailarinas. São reformulados movimentos, trabalhada a coreografia. Até ao dia da estreia, ouvimos especialistas em dança e revisitamos trabalhos anteriores do coreógrafo.

 

António Capela – Casa dos Violinos (estreia)

Quinta, 23 de novembro, 23h30

Documentário

Documentário sobre uma família portuguesa de "luthiers" que há mais de cem anos constrói e repara violinos, violas de arco e violoncelos.

António Capela é o protagonista de uma história com mais de 80 anos, pautada pelo lirismo dos instrumentos de cordas. O seu perfeccionismo e talento fizeram-no seguir o ofício do pai, o mestre Domingos Capela. O amor à profissão, as pessoas, a saudade do pai e o orgulho no filho, Joaquim António Capela, que representa a terceira geração de uma família de construtores de instrumentos de arco com destaque no plano internacional. Na casa da família Capela, na freguesia de Anta, Espinho, os instrumentos ganham vida, sobretudo os violinos, reconhecidos a nível mundial. Um violino Capela é o protagonista final do documentário, através do talento do violinista Tomás Costa, membro da Orquestra Gulbenkian.

 

As nuvens de Sils Maria (2014)

Sexta, 24 de novembro, 23h00

Filme

Uma história deslumbrante sobre o confronto de gerações e diferentes realidades. Filme dramático do cineasta francês Olivier Assayas (Paris, 1955), com Juliette Binoche, Kristen Stewart (César de Melhor Atriz Secundária) e Chloe Grace Moretz.

Maria Enders (Juliette Binoche), uma atriz de meia-idade, é convidada a apresentar uma nova versão da peça que a fez famosa há 20 anos. Na época interpretou o papel de Sigrid, uma jovem que seduz e destrói uma mulher madura e a leva ao suicídio. Agora é convidada a interpretar o outro papel, o de Helena, e Jo-Ann Ellis (Chloë Grace Moretz), uma jovem e caprichosa atriz de Hollywood, será a intérprete do papel que a tornou famosa. Para se preparar e ensaiar os diálogos, Maria vai com a sua assistente pessoal Valentine (Kristen Stewart) para Sils Maria, nos Alpes. Nessa região remota irá aprender a lidar com alguns dos seus medos mais profundos. Maria encontra-se agora do outro lado do espelho, face a face com uma mulher ambiguamente encantadora e que na sua essência é um reflexo perturbador de si mesma.

 

Agarrando Pueblo

Sexta, 24 de novembro, 25h05

Curta-metragem

Incluído na programação da Lisboa Capital Ibero-americana da Cultura 2017, a RTP2 apresenta "Agarrando Pueblo", de Carlos Mayolo e Luis Ospina, que acompanha uma equipa de filmagem que persegue a miséria social na Colômbia de 1977.

Deliberadamente destacados do cinema de denúncia da esquerda militante, Luis Ospina (Santiago de Cali, 1949) e Carlos Mayolo (1945-2007) lançam o seu manifesto político contra o que eles chamaram de "pornomiseria". Misturando ficção e realidade, "Agarrando Pueblo" constitui um protesto contra os filmes documentais que exploram descaradamente a pobreza do Terceiro Mundo para exportar para festivais europeus de Televisão e Cinema.

 

Isto é para a televisão (estreia)

Sábado, 25 de novembro, 22h05

Teatro

Peça de teatro com texto e encenação de Sofia Ângelo e interpretações de Nuno Pinheiro e Tiago Costa.

25 de Abril, 21h30, dia da Liberdade. Um homem prepara-se para discursar. Procura falar para uma multidão sem a ver, o que encontra é uma câmara de filmar e um assistente disposto a ajudá-lo no grande desafio do indizível. Fragmentos de memória invadem o pensamento e o homem terá que se libertar da gravata que o sufoca.

 

Pneuma

Sábado, 25 de novembro, 22h35

Bailado

Um bailado de grande beleza que se assemelha a um brilhante sonho, com coreografia de Carolyn Carlson e música de Gavin Bryars, pela Companhia de Bailado da Ópera Nacional de Bordeaux.

Um bailado intenso e poético, inspirado no ensaio sobre a imaginação do movimento "O Ar e os Sonhos" de Gaston Bachelard (1884-1962), da bailarina e coreógrafa americana Carolyn Carlson (Okland, Califórnia, 1943), com música do compositor inglês Gavin Bryars (Yorkshire, 1943). Verdadeiro ícone da dança contemporânea, Carolyn Carlson, criou mais de uma centena de coreografias, ou "poemas visuais", como prefere chamá-los. "Pneuma" explora a dualidade do homem, entre o corpo e a mente, a gravidade e a elevação, a matéria e o pensamento. Uma viagem imaginária à volta do tema de Ícaro: o ar, as constelações, um universo inspirador e belos momentos oníricos. Uma ode à natureza humana, intensa e poética.

Pneuma - O Ar e os Sonhos

Coreografia: Carolyn Carlson, inspirada na obra "O Ar e os Sonhos" de Gaston Bachelard

Companhia de Bailado da Ópera Nacional de Bordeaux

Música: Gavin Bryars

Orquestra Nacional Bordeaux Aquitaine

Direção musical de Pieter-Jelle de Boer

Gravado na Ópera Nacional de Bordeaux, 2014

 

O Encantado (2015) - estreia

Sábado, 25 de novembro, 24h05

Filme

"O Encantado" é o terceiro e último volume da trilogia "As Mil e uma Noites", do cineasta português Miguel Gomes ("Aquele Querido Mês de Agosto", "Tabu"), que se completa com "O Inquieto" e "O Desolado". Uma história sobre o Portugal de hoje, inspirada em Xerazade e em factos ocorridos entre 2013 e 2014, recolhidos por um grupo de jornalistas. Um retrato da sociedade portuguesa, no meio de uma crise social e económica, durante o período em que o país esteve refém do programa de austeridade.

Num País Europeu em crise, um realizador propõe-se construir uma ficção a partir da miserável realidade onde está inserido. Incapaz de descobrir um sentido para o seu trabalho, foge cobardemente dando lugar à bela Xerazade. A princesa, para ganhar mais um dia de vida, conta ao rei as inquietantes maldições que se abatem sobre o país. Com o passar das noites, a inquietude dá lugar à desolação e a desolação ao encantamento. Xerazade organiza as histórias que conta ao Rei em três volumes, com ânimo e coragem para não o aborrecer.

Em "O Encantado", Xerazade duvida que ainda consiga contar histórias que agradem ao rei, dado que o que tem para contar pesa três mil toneladas. Por isso foge do palácio e percorre o Reino em busca de prazer e encantamento. O seu pai, o Grão-Vizir, marca encontro com ela na roda gigante e Xerazade retoma a narração: "Oh venturoso Rei, fui sabedora que em antigos bairros de lata de Lisboa, existia uma comunidade de homens enfeitiçados que, com rigor e paixão, se dedicava a ensinar pássaros a cantar…".

 

Cuba, a memória de Fidel

Domingo, 26 de novembro, 23h50

Documentário

No dia 25 de novembro passa um ano sobre a morte de Fidel Castro (1926-2016), o líder revolucionário que mudou a história de Cuba.

Em 1959, Fidel Castro subiu ao poder em Cuba e desde então tem sido considerado como uma das figuras mais controversas do mundo. A história da turbulenta carreira do ditador cubano, contada através de reportagens, imagens e gravações da época. Os relatos mostram como através do seu carisma, Fidel Castro foi catapultado para o poder e como esse mesmo carisma o ajudou a manter o controlo do país durante quase cinco décadas.

 

Concerto Especial 2017 (estreia)

Domingo, 26 de novembro, 24h50

Concerto

Zubin Mehta e a Orquestra Filarmónica de Viena no Müpa de Budapeste.

A Orquestra Filarmónica de Viena, sob a direção do aclamado maestro Zubin Mehta, assinala o aniversário dos 150 anos do Compromisso Austro-Húngaro de 1867, que terminou o período de despotismo após a Revolução Húngara de 1848-49 e Guerra da Independência e marcou o início do Império Austro-húngaro. A Orquestra apresenta em Budapeste um concerto inspirado exclusivamente nos dois países, com obras que representam o patriotismo húngaro e ilustram a relação entre os dois povos. A Abertura Festiva do compositor húngaro Ferenc Erkel (1810-1893), que cita duas canções húngaras incluindo o hino nacional, é uma verdadeira celebração à nação húngara. O compositor austríaco Joseph Haydn (1732-1809) foi mestre de capela dos Esterházy, uma importante família da aristocracia húngara. Béla Bartók (1881-1945), um dos compositores que mais contribuiu para o desenvolvimento do chamado estilo húngaro, evoca a sua pátria no Concerto para orquestra. A célebre valsa No belo Danúbio Azul, do compositor austríaco Johann Strauss, é a representação musical do rio que atravessa a Europa e flui através das cidades de Viena e Budapeste, unindo os povos que estabeleceram um compromisso de paz.

Para esta celebração, a Orquestra Filarmónica de Viena convidou o maestro indiano Zubin Mehta (Bombaim, 1936), que estudou em Viena e foi aluno do lendário maestro austríaco de origem húngara Hans Swarowsky (1899-1975).

 

Programa:

Ferenc Erkel – Abertura Festiva, Op.110

Joseph Haydn – Sinfonia concertante para oboé, fagote, violino, violoncelo e orquestra em si bemol maior, Hob.I:105

Béla Bartók – Concerto para orquestra, Sz.116

Johann Strauss II – Valsa No belo Danúbio azul, Op.314

Intérpretes:

Martin Gabriel – oboé

Sophie Dartigalongue – fagote

Rainer Honeck – violino

Róbert Nagy – violoncelo

Orquestra Filarmónica de Viena

Direção de Zubin Mehta

Gravação realizada no Müpa de Budapeste em outubro de 2017