Cartaz de cinema

Começou o Festival de Cinema de Toronto

Publicado em 8 Set. 2013 às 23:01, por , em Notícias de cinema (Temas: Festivais de cinema)

Começou o Festival de Cinema de Toronto

Os destaques de um dos maiores certames de cinema do mundo que continua a crescer.

Começou esta semana e prolonga-se até dia 16 a edição 2013 do Festival Internacional de Toronto, evento que, tradicionalmente, assinala a altura do calendário em que se falar com mais insistência dos prémios que destinguem os melhores filmes do ano.

Pelo facto de o Festival não possuir competição nem júri para determinar quais os melhores filmes (o único "prémio" que atribui baseia-se na escolha do público), Toronto é, também, o local ideal para os estúdios medirem a notoriedade e o apelo popular de determinados títulos.

Da extensa programação do Festival Internacional de Toronto - que pode ser consultada, na íntegra, no site oficial - destacamos os títulos que, nos próximos meses, dominarão as estreias comerciais e concentrarão as atenções do panorama cinematográfico mundial:

"12 Years a Slave", de Steve McQueen: o realizador de "Vergonha" reencontra Michael Fassbender nesta história, situada no Século XIX e baseada em factos verídicos, sobre um homem negro raptado e tornado escravo. Para além do jovem e promissor Chiwetel Ejiofor no papel principail, o elenco inclui ainda os nomes de Brad Pitt ("WWZ: Guerra Mundial"), Paul Giamatti ("Cosmopolis") e Benedict Cumberbatch ("Além da Escuridão: Star Trek").

"The Fifth Estate", de Bill Condon: com Benedict Cumberbatch e Daniel Brühl ("Sacanas Sem Lei") na pele dos arquitetos do Wikileaks. O filme narra os inícios do site até às diferenças de opiniões entre ambos – não sem que antes tenham mudado profundamente, para o melhor e para o pior, a forma como a informação chega à imprensa e ao mundo em geral.

"The Armstrong Lie", de Alex Gibney: uma abordagem documental única e extraordinária, com entrevistas e imagens exclusivas, sobre a queda em desgraça de Lance Armstrong após a sua vitória na Volta à França de 2009.

"August: Osage County", de John Wells: Meryl Streep, Sam Shepard, Julia Roberts e Juliette Lewis protagonizam esta história sobre vida, morte e conflito no seio de uma família do Oklahoma.

"La Vie d"Adèle chapitres 1 & 2", de Abdellatif Kechiche: o vencedor ousado, apaixonado e controverso da Palma de Ouro no último Festival de Cannes, conta a relação amorosa de duas mulheres (Adèle Exarchopoulos e Léa Seydoux) e a forma como essa paixão influencia as suas vidas.

"Dallas Buyers Club", de Jean-Marc Vallée: a história verídica de Ron Woodroff, ativista acidental pela luta contra a SIDA, protagonizada por um Matthew McConaughey ("Magic Mike") quase irreconhecível e Jared Leto ("Sr. Ninguém") no papel de um travesti.

"Don Jon", de Joseph Gordon-Levitt: o ator de "A Origem" e "Looper – Reflexo Assassino" escreve, realiza e protagoniza esta comédia sobre um mulherengo que decide rever o seu estilo de vida quando se envolve com duas mulheres (Scarlett Johannson e Julianne Moore) completamente diferentes.

"Gravity", de Alfonso Cuarón: Sandra Bullock e George Clooney são as estrelas deste thriller de sobrevivência no espaço, que mereceu enormes elogios aquando da sua recente passagem pelo Festival de Veneza e é já considerado como um dos filmes de 2013 a reunir as maiores expetativas.

"Joe", de David Gordon Green: na empresa madeireira que supervisiona, o ex-presidiário Joe Ransom acolhe um jovem de quinze anos que foge de um passado atribulado e transforma-se no inesperado protetor do rapaz. Considerado como o regresso à boa forma para Nicolas Cage ("O Aprendiz de Feiticeiro"), acompanhado no elenco pelo promissor Tye Sheridan ("A Árvore da Vida").

"Man of Tai Chi", de Keanu Reeves: o ator de "Matrix" faz a sua estreia na realização neste épico de artes marciais, centrado na figura de um praticante de tai chi desafiado a participar num clube de luta ilegal gerido pelo próprio Keanu Reeves.

"Miss Violence", de Alexandros Avranas: premiado em Veneza com o Leão de Prata para Melhor Realizador, este drama sobre o suicídio inexplicável de uma menina de onze anos, que despoleta segredos familiares em torno da tragédia, é o mais recente filme da Nova Vaga do Cinema Grego.

"Only Lovers Left Alive", de Jim Jarmusch: Tilda Swinton e Tom Hiddleston são dois vampiros apaixonados há séculos no novo trabalho de Jim Jarmusch, um dos realizadores independentes norte-americanos mais famosos da atualidade.

"Le Passé", de Asghar Farhadi: o realizador iraniano de "Uma Separação" regressa à análise do fim de um casamento, desta vez a de um homem obrigado a viajar de Paris para Teerão de forma a oficializar o seu divórcio com a ex-mulher (interpretada por Bérénice Bejo, de "O Artista").

"Philomena", de Stephen Frears: galardoado com o prémio para Melhor Argumento no Festival de Veneza, a veterana Judi Dench protagoniza esta história verídica sobre uma mulher irlandesa católica obrigada pela sua comunidade a entregar o filho para adoção e que, décadas depois, procura saber do seu paradeiro.

"Rush", de Ron Howard: a dramatização do choque entre o carismático piloto inglês James Hunt (Chris Hemsworth, de "Os Vingadores") e o disciplinado e perfeccionista Niki Lauda (Daniel Brühl, de "Sacanas Sem Lei") durante o Campeonato do Mundo de Fórmula 1 de 1976, considerada, pelos fãs da modalidade, como uma das histórias mais intensas e dramáticas de sempre do mundo automobilista.

"Under the Skin", de Jonathan Glazer: Scarlett Johansson é, neste thriller sensual e misterioso de ficção científica, uma extra-terrestre que aproveita a sua adquirida forma humana para aliciar e assassinar vítimas masculinas.

"The Wind Rises", de Hayao Miyazaki: anunciado como o derradeiro filme de um dos principais metres da animação japonesa, narra a vida de Jiro Horikoshi, o visionário engenheiro do famoso caça Zero, um dos aviões mais belos da história da aviação.

Destaque final para a presença de quatro filmes portugueses no Festival de Toronto:

"A Batalha de Tabatô", de João Viana: uma meditação sobre o bem e o mal, encarnada no regresso à Guiné-Bissau de Baio para o casamento da filha. Voltando aos lugares do seu passado, as lembranças e os fantasmas da guerra de independência vêm à tona.

"Bobô", de Inês Oliveira: primeira ficção portuguesa a retratar o tema da mutilação genital feminina, conta a história da relação entre duas mulheres, Sofia, portuguesa, e Mariama, guineense, com diferentes maneiras de estar no mundo.

"O Corpo de Afonso", de João Pedro Rodrigues: produzido durante a organização do Guimarães – Capital Europeia da Cultura 2012, apresenta uma pesquisa brilhante e idiossincrática sobre a fascinação antiga de Portugal pelo corpo do primeiro rei, Afonso Henriques.

"Redemption", de Miguel Gomes: o realizador de Tabu apresenta, agora, uma curta metragem de 26 minutos sobre quatro personagens em épocas distintas – uma criança em Portugal, em 1975, um idoso em Milão, em 2011, um pai em Paris, em 2012, uma noiva em Leipzig, em 1977 – à procura da redenção.