Cartaz de cinema

Cinema e séries de produção nacional na nova grelha da RTP

Publicado em 18 Set. 2018 às 18:00, por , em Notícias de Televisão e Séries (Temas: Estreias)

Cinema e séries de produção nacional na nova grelha da RTP

A RTP apresentou esta semana as novas propostas de programas de ficção dos seus canais para os próximos meses. Na grelha surgem, por um lado, estreias em televisão de longas-metragens que passaram pelas salas de cinema, por outro a opção que começa a ser habitual nas produções portuguesas de converter filmes para o formato de minissérie, e claro, alguns projetos originais.

Abaixo, conheça as principais sugestões.

SÃO JORGE (Outubro)

Um filme dramático sobre os anos de intervenção da "troika" em Portugal, cuja ação decorre nos bairros da Bela Vista e da Jamaica, respetivamente em Setúbal e no Seixal.

Jorge é um pugilista desempregado que tenta a todo o custo encontrar formas de garantir o sustento da mulher e do filho. Como último recurso, aceita um trabalho numa empresa de cobrança de dívidas.

Usando o seu corpo treinado para a luta corpo a corpo, passa a intimidar pessoas que, tal como ele, se encontram numa situação deses-perada. De um momento para o outro, vê-se a atravessar a fronteira da moralidade e a entrar num mundo de criminalidade gerada pela pobreza e pela falta de alternativas.

Terceira longa-metragem de Marco Martins e protagonizada por Nuno Lopes.

PERDIDOS (Novembro)

Um grupo de seis amigos decide passar o fim de semana a bordo de um luxuoso veleiro. Todos estão entusiasmados e decidem ir nadar, mas para surpresa geral, ninguém se lembrou de baixar as escadas de acesso ao barco. Com o passar do tempo, percebem que é impossível subirem a bordo e que a única esperança reside em serem encontrados por alguma embarcação que por ali passe. Apesar de cientes dos perigos, todos sabem que os seus maiores inimigos são o pânico e a exaustão. O que começou por ser uma alegre reunião torna-se numa luta pela sobrevivência.

Com realização de Sérgio Graciano e produção de Leonel Vieira, conta nos principais papéis com Dânia Neto, Diogo Amaral, Dalila Carmo, Afonso Pimentel, Lourenço Ortigão e Catarina Gouveia.

100 METROS (Dezembro)

Uma comédia dramática baseada na verdadeira história de Ramón Arroyo, que nos fala sobre resiliência e superação.

Ramón vê tudo ruir à sua volta quando recebe o diagnóstico de esclerose múltipla já em estado avançado. Dedicado à família e ao trabalho, não consegue imaginar-se dependente dos cuidados de quem quer que seja. Mas o corpo dá-lhe constantemente sinais de debilidade e, a acreditar na avaliação dos médicos, dentro de um ano será incapaz de andar 100 metros.

Depois de uma fase mais depressiva, ele decide questionar todas as limitações do seu corpo e mostrar ao mundo a sua força para enfrentar as adversidades.

Produção luso-espanhola, com realização e argumento de Marcel Barrena, protagonizado por Dani Rovira, Maria de Medeiros, Karra Elejalde, Ricardo Pereira e Alexandra Jiménez.

CLARABOIA (6 de outubro, às 22h15, na RTP2)

Uma peça de teatro baseada na obra homónima de José Saramago, com encenação e dramaturgia de Maria do Céu Guerra e adaptação de texto de João Paulo Guerra.

Dezassete personagens distribuídas por seis apartamentos, num prédio de gente 'remediada', na Lisboa dos anos 50. As suas necessi-dades, aspirações, quezílias, transgressões e mentiras são o desafio desta peça, que decorre num espaço onde a ausência de amor é a parede mestra da casa de cada uma das personagens, e onde o fascismo é vivido até ao mínimo pormenor, com a polícia à espreita dentro de cada um.

Exibida na semana em que se assinalam os 20 anos da atribuição do Prémio Nobel a José Saramago.

ACENDE A LUZ PARA EU TE OUVIR (a partir de 23 de setembro, domingo, às 19h50, na RTP2)

Série documental sobre Língua Gestual Portuguesa, destinada a pessoas surdas e ouvintes de todas as idades. Nela pretende-se mostrar histórias e opiniões de pessoas surdas e ouvintes, que usam a Língua Gestual Portuguesa no seu quotidiano, nas mais diversas profissões e atividades.

A série, de 13 episódios, conta com dois apresentadores - uma pessoa surda e uma pessoa ouvinte fluente em Língua Gestual Portuguesa.

SARA (a partir de 7 de outubro, domingo, às 22h15, na RTP2)

Estreia de Marco Martins na ficção televisiva. A partir de uma ideia original de Bruno Nogueira, o realizador construiu uma sátira ao meio audiovisual português e, em particular, ao mundo da televisão.

Ao longo de oito episódios, acompanhamos Sara, uma atriz de 42 anos, que começa a questionar as escolhas profissionais e a sua carreira.

Sozinha e com um pai doente, decide abandonar o cinema de autor e o teatro dos grandes textos, áreas onde se notabilizou, para experimentar o mundo das telenovelas.

Adorada pelos realizadores e encenadores, Sara é conhecida pela profundidade trágica que consegue imprimir nas personagens que interpreta. De resto, é sempre para isso que a convidam, personagens trágicas.

Cansada de chorar, abandona a rodagem do seu último filme e refugia-se em casa sem saber o que fazer. Numa busca pelos tempos que correm, Sara experimenta o mundo das novelas, das redes sociais, das sessões fotográficas para revistas cor-de-rosa e começa a frequentar com regularidade um motivador pessoal, uma espécie de life coach de emoções, procurando algo diferente que a faça sentir-se mais próxima do grande público.

Com Beatriz Batarda, Nuno Lopes, José Raposo, Miguel Guilherme, Bruno Nogueira, Albano Jerónimo, Rita Blanco, Tonan Quito, Cristóvão Campos. Realização de Marco Martins a partir do guião escrito por Ricardo Adolfo, Marco Martins e Bruno Nogueira.

OS IDIOTAS, PONTO (a partir de 20 de setembro, quinta-feira, às 24h00, na RTP2)

Três amigos egocêntricos, com tendência para observar e discutir as minúcias do dia a dia, debatem-se com os problemas da vida adulta. Infelizmente, os seus pontos de vista distorcidos e julgamentos precipitados, acabam sempre por arrastá-los para uma espiral infindável de mal-entendidos.

Com Duarte Grilo, André Nunes e Salvador Sobral, entre outros. Argumento e realização de Diogo Lopes

3 MULHERES (dezembro na RTP1)

Série sobre três mulheres de gerações distintas que se tornaram figuras icónicas da história portuguesa contemporânea: Maria Armanda Falcão, portuguesa nascida na Ilha de Moçambique; Natália de Oliveira Correia, açoreana de S. Miguel; e Ebba Merete Seidenfaden, dinamarquesa nascida em Copenhaga.

"3 Mulheres" fala das suas vidas e determinação numa época transformadora, os anos 60, e numa altura em que o Estado Novo parecia perpetuar-se mesmo depois da morte do ditador António de Oliveira Salazar. Mulheres como a poetisa Natália Correia, a editora "Snu" Abecassis e a jornalista Vera Lagoa (pseudónimo de Maria Armanda) são apresentadas como um exemplo de coragem ao assumire o protagonismo e um compromisso com os tempos futuros.

Com Maria João Bastos, Victoria Guerra, Soraia Chaves, Fernando Luís, Pedro Lamares, Afonso Lagarto, Elmano Sancho, Isac Graça, João Pedro Jesus, Jorge Vaz Gomes, Pedro Inês. Argumento de Fátima Ribeiro e Luís Alvarães com realização de Fernando Vendrell.

SOLDADO MILHÕES  (novembro na RTP1)

No ano do centenário da Batalha de La Lys, os realizadores Jorge Paixão da Costa e Gonçalo Galvão Teles inspiraramm-se em factos reais para contar a história de um herói português.

Aníbal Augusto Milhais é um entre tantos soldados enviados para a Flandres durante a Primeira Guerra Mundial. Na Batalha de La Lys, contrariando ordens superiores, enfrenta sozinho sucessivas ofensivas alemãs de maneira a garantir a retirada dos companheiros.

Milhais demora vários dias até reencontrar o seu pelotão em Saint-Venant, prote-gido apenas pela sua arma, a metralhadora ligeira Lewis, apelidade de Luisinha, e um amuleto da sorte oferecido pela sua amada.

Com João Arrais, Miguel Borges, Carminho Coelho, Raimundo Cosme, Isac Graça, Tiago Teotónio Pereira, Ivo Canelas, Graciano Dias, Nuno Pardal, Lúcia Moniz e António Pedro Cerdeira. Realização de Gonçalo Galvão Teles e Jorge Paixão Da Costa que também escreveu o argumento na companhia de Mário Botequilha

TEORIAS DA CONSPIRAÇÃO (dezembro na RTP1)

Maria Amado é uma jornalista de investigação que está no auge da carreira quando uma série de escândalos, políticos e financeiros, a levam a questionar muitas das suas convicções.

A sua vida amorosa parece ter encontrado um caminho na relação impossível com o investigador da Judiciária José Madeira, mas o passado persegue-a.

Do outro lado, atento às movimentações, um advogado influente manipula nos bastidores as descobertas de Maria e José de forma a iludi-los. Pedro Soares Teixeira move-se tão à vontade nos gabinetes do poder como no submundo do crime. Faz e desfaz offshores, com a mesma facilidade com que elimina adversários e partilha com Maria um passado que não revela.

A precipitar o antagonismo das estratégias de Pedro e Maria, desenrola-se uma sucessão de casos que abalam a estrutura política e económica do país. E todos os meios convencionais tornam-se insuficientes para explicar o que se passa: da falência de um banco às jogadas políticas para encobrir a corrupção.

Com Carla Maciel, Ruben Gomes, Goncalo Waddington, Pedro Laginha, Rita Loureiro, Pedro Carmo, Rui Morrisson, Dinarte Branco, Andre Gago, Joao Vicente, Carmen Santos, Sinde Felipe, Joao Craveiro, Joao Lagarto, Tiago Matias, Virgílio Castelo, Mikaela Lupu e Ana Cunha. Realização de Manuel Pureza.

CIRCO PARAÍSO (Estreia a 12 de setembro, quarta-feira, às 22h00 na RTP1)

Uma pequena vila do nosso país, pacata e rural, é surpreendida pela chegada de um circo: o Circo Paraíso. Com ele, chegam malabaristas, acrobatas, palhaços, trapezistas, contorcionistas, dançarinas, músicos, ilusionistas, domadores de animais, mas também carrinhos de choque e algodão doce de feira.

O entusiasmo inicial começa a ser substituído por apreensão quando percebem que as pessoas do circo são mais estranhas do que aparentavam. Fenómenos inusitados acontecem: animais desaparecidos, acontecimentos naturais adulterados e ainda a aparição de entidades desconhecidas.

Na vila, o alvoroço está instalado.

Com José Raposo, Madalena Almeida, Pedro Laginha, Alfredo Brito, Filipa Areosa, Diogo Martins, Vera Mónica, Ricardo Aibéo, Adriano Carval-ho, Joana Manuel, Afonso Lopes, Afonso Lagarto, Joana Seixas, Maria d" Aires, Tomás Alves, Teresa Tavares, Miguel Raposo, entre outros. Argumento de Patrícia Muller e realização de Tiago Alvarez Marques.