Cartaz de cinema

Canal História apresenta documentário "As Faces de Fátima"

Publicado em 3 Mai. 2017 às 14:06, por , em Notícias de Televisão e Séries (Temas: Estreias)

Canal História apresenta documentário "As Faces de Fátima"

O canal anunciou também a sua associação à obra da artista plástica Joana Vasconcelos, elaborada para comemorar o centenário das alegadas aparições.

O canal História anuncia para 8 de maio, às 22h00, a transmissão do documentário "As Faces de Fátima", comparando a evolução do culto a Fátima e sua "construção narrativa" entre 1917 e 1941, até à época das "memórias" tardias da Irmã Lúcia.

De acordo com um comunicado de imprensa, o documentário de produção própria inclui uma investigação multidisciplinar inédita, com recurso a documentos nunca antes revelados, e pretende analisar as condições políticas, sociais e culturais que fizeram das alegadas aparições de Fátima um dos mais complexos mitos do catolicismo e da religiosidade popular.

Na criação do documentário participaram 23 especialistas, de diversas áreas, com as mais variadas visões e opiniões, baseadas nas suas investigações e especialidades profissionais. O autor do guião e coordenador da equipa de especialistas convidados foi o Prof. Joaquim Fernandes, doutorado em História e Cofundador do CTEC – Centro Transdisciplinar de Estudos da Consciência.

Ao mesmo tempo, o canal História anunciou a "associação à artista plástica Joana Vasconcelos" no "apoio à sua obra", instalada na Basílica da Santíssima Trindade, que tem apresentação marcada para 12 de maio, por ocasião da visita do Papa Francisco ao Santuário de Fátima.

"O documentário fala-nos das várias faces de Fátima, procurando mostrar os diferentes pontos de vista que levaram o fenómeno de Fátima a ser o que é hoje em dia", explica Carolina Godayol, diretora geral de The History Channel Ibéria", num depoimento incluído no mesmo comunicado de apresentação do programa. "Decidimos convidar 23 especialistas, em diferentes áreas, que nos pudessem dar uma visão global dos fatores políticos, sociais e culturais. Faltava-nos a face artística e, por isso, faz todo o sentido apoiar a obra de Joana Vasconcelos", acrescenta.

A obra de Joana Vasconcelos, intitulada "Suspensão", foi feita a convite do Santuário de Fátima no âmbito das comemorações do Centenário das Aparições de Nossa Senhora de Fátima, é afirma-se como "uma apropriação – monumentalizada – de um dos objetos mais simbólicos da figura de Nossa Senhora de Fátima, bem como do seu santuário e espaços circundantes: o terço". De acordo com a descrição enviada, "o terço típico – em plástico que brilha no escuro – torna-se, através da sua dimensão e instalação, numa escultura cuja leveza do suporte remete para a suspensão de tempo a que pertencem os momentos de contemplação e, consequentemente, elevação interior – independentemente dos credos e modos de meditação".    

"Estamos muito entusiasmados com o resultado final. Sem especulações e sem preconceitos em 'As Faces de Fátima' vamos expor todas as faces de Fátima como nunca se ousou fazer até hoje. Todos os decores desta produção remetem para a localidade de Cova de Iria. Filmámos também em zonas históricas de algumas cidades portuguesas, no Santuário e no local das aparições, tentando enquadrar a realidade histórica do acontecimento de Cova de Iria, as suas implicações sociais e económicas, bem como as consequências que teve na Igreja, na terra, no País, no mundo e nas crianças que participaram nesse acontecimento", acrescenta Carolina Godayol.

A lista de especialistas consultados para a elaboração do documentário "As Faces de Fátima" inclui:

  • Miguel Quaresma Brandão (judaísmo): Posição do judaísmo face ao fenómeno de Fátima e Maria Mãe de Jesus – Nossa Senhora. 
  • Álvaro Campelo (antropólogo): Enquadramento sociológico rural do fenómeno de Fátima e sua evolução.     
  • Artur Villares (pastor luterano/historiador): Mudança da imagética de Fátima/evolução do Culto Mariano e visão dos Luteranos e a exclusão da imagética na Igreja e na comunicação com Deus.    
  • Raul Berenguel (historiador/físico/investigador): O Milagre do Sol visto, analisado e investigado por físicos. Que fenómeno Físico aconteceu em Fátima no dia em que se deu o Milagre do Sol?    
  • Isabel Bastos (historiadora de arte): História, Raízes e evolução do Culto Mariano em Portugal.     
  • Joel Cleto (arqueólogo): Evolução da escultura e imagética da Nossa Senhora de Fátima desde o primeiro interrogatório até aos nossos dias.    
  • José Soares Martins (psicólogo social): análise psicológica dos 3 pastorinhos e como isso influenciou a psicologia da época sobre o fenómeno.     
  • Luís Miguel Bernardo (físico): Análise de um físico sobre o Milagre do Sol enquanto visão de um sol que baila. Como se formam imagens nos nossos olhos.     
  • Manuel Curado (filósofo): A piedade social e a troca de promessas por milagres pessoais ou resolução das crises pessoais. Como a Igreja se relacionou com isto.
  • Teresa Tholdy (teóloga): Retrato teológico dos videntes.
  • Mário Simões (médico psiquiatra, especialista em hipnose e regressão): Através de uma Ressonância Magnética Funcional, explica como é que pensando em imagens divinas ou evocando um ser divino o nosso cérebro funciona e como isso pode proporcionar vivências transcendentais através de um estado alterado de consciência.    
  • Marco Daniel Duarte (Diretor do Centro de Estudos do Santuário de Fátima): Fala sobre o fenómeno dos videntes e da construção do Santuário, o seu design e a sua evolução.
  • Manuel Domingos (neuropsicólogo): O Milagre do Sol: Foi uma visão causada por uma histeria coletiva? O que as crianças viram? Porque é que as crianças têm mais facilidade em comunicar com "amigos imaginários"? Em termos clínicos como é que isto é analisado?   
  • Miguel Real (historiador e especialista em literatura): A influência das figuras prodígio na História de Portugal e como isso faz parte da construção de Portugal. Como passou de gerações em gerações e faz parte do imaginário coletivo de um povo, de tal forma que Portugal é prova de vários fenómenos parecidos ao de Fátima. Como é que a literatura contemporânea foi influenciada por Fátima, nomeadamente Fernando Pessoa.   
  • Paulo Fontes (professor catedrático da Universidade Católica de Lisboa responsável pelo Centro de Estudos Religiosos): Evolução do fenómeno de Fátima na religião Católica e influência sociológica. 
  • Arnaldo Costeira (espirita): Em Março de 1917 é publicado num Jornal Nacional um anúncio a dizer que um fenómeno iria acontecer em Fátima. Para nos prepararmos. Essa premonição acontece numa sessão espirita onde é comunicado ao espirita responsável, através de uma mensagem escrita ao contrário que algo de extraordinário iria acontecer em Fátima no dia 13. Arnaldo Costeira explica a importância desta premonição e os seus efeitos.   
  • Luiza Frazão (professora de Literatura e sacerdotisa celta): O Culto das Deusas Mãe, a sua grande influência e existência na zona de Fátima. Cova da Iria, onde apareceu Fátima, tinha aquele nome em homenagem a Sta Iria, uma Deusa Celta, responsável pela conservação dos alimentos, da água da cura e da forja. Esta especialista acha que devido a este culto ancestral que a imagem que os videntes viram era da Santa Iria que nos princípios é muito similar à mãe de Jesus.   
  • Annabela Rita: Influência das histórias dos prodígios de Portugal no aparecimento e reforço do Culto Mariano. Milagre de Ourique,  Carta assinada por D. João IV que proclama a Imaculada Conceição (Nossa Senhora) como Rainha de Portugal e a partir desse dia nunca mais nenhum rei usou a Croa, passando esta a estar na cabeça de Nossa Senhora, assim como em Nossa Senhora de Fátima.   
  • Aurélio Lopes (antropólogo): Porque é que a igreja, no início, nunca aceita e certifica estes fenómenos como o de Fátima?!    
  • Paulo Borges (sacerdote budista): Como é que o Budismo vê o fenómeno de Fátima e a Mãe de Jesus?   
  • Fernando Rosas (historiador): Enquadramento social e político no período do Estado Novo e Fátima 2 até aos nossos dias – 1929-2017.   
  • Luis ReisTorgal (historiador): Enquadramento social e político no período da 1ª República – 1910-1929.
  • José Eduardo Franco (historiador): Globalização de Fátima.