Cartaz de cinema

Ava DuVernay diz não à Marvel

Publicado em 5 Jul. 2015 às 12:59, por , em Notícias de cinema (Temas: Cinema Norte-Americano, Bastidores)

Ava DuVernay diz não à Marvel

O projeto "Black Panther" ficou sem realizadora. A Marvel continua a ter problemas em arranjar quem dirija os seus filmes.

Ava DuVernay é o mais recente nome a abandonar um projeto da Marvel. A confirmação da saída veio da realizadora de "Selma" numa entrevista à Essence Magazine.

"Não vou realizar 'Black Panther'", disse DuVernay. "Direi apenas que tínhamos ideias diferentes em relação ao que deveria ser a história. A Marvel tem uma forma própria de fazer as coisas, acho que são fantásticos e muita gente adora o que eles fazem. Gostei muito que tivessem pensado em mim", concluiu.

O ator Chadwick Boseman continua ligado ao projeto do primeiro filme da Marvel com um super-herói de origem africana onde irá desempenhar o papel de T'Challa, líder da nação Wakanda.

DuVernay é mais uma na lista cada vez maior de realizadores que abandonam projetos da Marvel.

O primeiro foi Jon Favreau que abdicou de dirigir "Iron Man 3" (Homem de Ferro 3), em dezembro de 2010.

Dois anos depois, Patty Jenkins desligou-se de "Thor 2" deixando para trás uma Natalie Portman muito irritada.

Em maio de 2014, após oito anos no desenvolvimento do conceito, Edgar Wright desistiu de realizar "Ant Man" (Homem Formiga).

Poucos dias após o adeus de Wright, também um dos projetos para televisão perdeu o responsável quando Drew Goddard saiu da série "Daredevil", em desenvolvimento para o Netflix.

Em abril de 2014, Joss Whedon, que assinou "Vingadores" e "A Era de Ultron", deixou o estúdio para se dedicar a outro tipo de projetos.

Os filmes do grande concorrente, a DC Comics, também não estão isentos destes tipo de dramas. Em abril de 2015, as habituais "diferenças criativas" levaram a Warner Bros. a anunciar a saída de Michelle MacLaren da realização de "Wonder Woman".

Numa entrevista, Alan Taylor, que acaba de ver estrear o seu "Terminator Genisys", desvendou algumas razões que, de acordo com ele, levam a problemas entre a Marvel e os realizadores. A propósito da sua experiência à frente de "Thor 2: The Dark World", disse:

"Aprendi que não se faz um filme de 170 milhões de dólares com dinheiro de outras pessoas sem ter de ceder muito. A experiência na Marvel foi particularmente dolorosa porque tive liberdade quase absoluta enquanto filmávamos, mas depois duranta a pós-produção transformou-se num filme diferente. Isso é algo que eu espero nunca mais repetir e não desejo a ninguém."