Cartaz de cinema

Adolescente confundido com Benedict Cumberbatch é vítima de fãs chineses

Publicado em 17 Fev. 2014 às 15:57, por António Quintas, em Notícias de Televisão e Séries

Adolescente confundido com Benedict Cumberbatch é vítima de fãs chineses

Jovem inglês de 16 anos confundido com o ator da série de televisão "Sherlock" viu o seu perfil na rede social Instagram invadido por comentários de fãs chineses.

O jovem Tyler Michell, de 16 anos tem alguma parecença física com o ator Benedict Cumberbatch, de 37, protagonista da série "Sherlock" e publicou fotos no seu perfil no Instagram onde exalta essa característica.

O que o adolescente nunca esperou foi a súbita avalanche de comentários vindos da China onde a série da BBC é um enorme sucesso. E, sobretudo, nunca pensou que o confundissem com o verdadeiro Cumberbatch.

Primeiro algumas centenas, e logo a seguir milhares de chineses invadiram o perfil de Michell com comentários e elogios, alguns em mandarim e cantonês, outros em inglês.

O jovem tentou desencorajar o fluxo de comentários com uma foto onde escreveu: "Seguidores da China, por favor párem de comentar as minhas coisas", mas o efeito esteve longe de ser o pretendido.

Algumas pessoas sentiram-se enganadas e ofendidas pelo comentário. Surgiram acusações de racismo, de que Tyler se fez passar propositadamente pelo ator e os protestos chegaram mesmo à conta do rapaz no Facebook.

Por agora, Tyler optou por não voltar a responder aos milhares de comentários e tem mantido silêncio.

Esta onda de apreço por Benedict Cumberbatch é apenas uma das faces de um fenómeno recente na China onde séries como "Downton Abbey", ou "Sherlock" se transformaram não apenas em enormes êxitos, mas também em formas de afirmação na sociedade.

Um estudo recente da Entgroup, que analisa o panorama audiovisual chinês, revela como o público urbano, educado e com maior poder de compra, prefere as produções britânicas que consome pela Internet através dos serviços de streaming disponíveis.

A imprensa chinesa tem dado conta desta curiosa estratificação e chama-lhe "a cadeia do desdém". No topo estão os fãs de séries britânicas, o pináculo da sofisticação televisiva, que olham com superioridade para os fãs de programas norte-americanos. Estes, por sua vez, miram com desdém os apreciadores de novelas sul-coreanas que desprezam a base da pirâmide, os consumidores de programas chineses.