Cartaz de cinema

"A Fábrica de Nada" representa Portugal nos prémios ibero-americanos de cinema

Publicado em 18 Dez. 2017 às 16:15, por , em Notícias de cinema (Temas: Cinema Português)

"A Fábrica de Nada" representa Portugal nos prémios ibero-americanos de cinema

A longa-metragem "A Fábrica de Nada" de Pedro Pinho, foi escolhido para representar Portugal na edição de 2018 dos Prémios Ariel, como candidato a Melhor Filme Ibero-americano, anunciou segunda-feira em comunicado a direção da Academia Portuguesa de Cinema.

O filme, que teve estreia mundial a 25 de maio de 2017, arrecadou o prémio da Federação Internacional de Críticos de Cinema no Festival de Cannes, e também o Prémio CineVision de Melhor Novo Filme no Festival de Cinema de Munique.

"A Fábrica de Nada" é um drama musical que segue a vida de um grupo de operários enquanto tentam impedir o encerramento da fábrica onde trabalham através de um sistema de autogestão coletiva. Quando descobrem que a administração está a roubar máquinas e matérias-primas, os trabalhadores decidem organizar-se para impedir a deslocalização. Os patrões retaliam e, enquanto decorrem as negociações para os despedimentos, forçam os operários a permanecer nos seus postos de trabalho, sem nada para fazer.

É a primeira longa-metragem do realizador, com produção de Terratreme, e conta nos principais papéis, com Carla Galvão, José Smith Vargas, Daniele Incalterra, Njamy Sebastião, Joaquim Martins, Rui Ruivo, entre outros.

Os prémios Ariel, da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas do México, são celebrados desde 1947 com o objetivo de distinguir o melhor do cinema ibero-americano. Os vencedores da 60ª edição dos prémios Ariel serão anunciados durante o próximo ano.

Trailer "A Fábrica de Nada"