Cartaz de cinema

5 filmes para ver com "The Neon Demon – O Demónio de Néon"

Publicado em 17 Ago. 2016 às 23:00, por , em Notícias de cinema (Temas: Estreias)

5 filmes para ver com "The Neon Demon – O Demónio de Néon"

Esta semana estreia "The Neon Demon – O Demónio de Néon", o mais recente filme de Nicolas Winding Refn, com Elle Fenning no principal papel.

O argumento centra-se em Jesse, uma aspirante a modelo recém-chegada a Los Angeles, que depressa vê a sua juventude e vitalidade cobiçadas por um grupo de mulheres obcecadas pela beleza.

A propósito desta nova obra do realizador de "Drive", recordamos cinco títulos que, pela proximidade temática, ou partilha de escolhas visuais e estéticas, constituem opções cinematográficas ideais para (re)descobrir antes ou depois das desventuras de Jesse.

Abaixo, detalhamos esta mão cheia de filmes que costumam figurar em canais TV de programação cinematográfica, ou que podem ser facilmente encontrados em DVD ou Blu-Ray, e que servirão de complemento perfeito para "O Demónio de Néon".

"Who Are You, Polly Magoo?" (1966, William Klein)

Obra satírica em torno dos excessos e manias da indústria da moda, William Klein revela evidente inspiração no formalismo da Nouvelle Vague para criticar a superficialidade de modelos, estilistas e supostos apreciadores de alta-costura. Nada nem ninguém é poupado neste genuíno desfile de vaidades, um sentimento que perpassa em "The Neon Demon" – muito embora o apurado e contemporâneo sentido visual de Nicolas Winding Refn nada tenha a ver com a "Nova Vaga" francesa dos anos 60.

 

"Contos Imorais": segmento "Bathory" (1974, Walerian Borowczyk)

A noção de beleza a todo o custo, mesmo que tal implique cometer os crimes mais extremos e inacreditáveis, revela-se como uma das principais características de "The Neon Demon". Nesse sentido, convém recordar o segmento "Bathory" do filme erótico "Contos Imorais": a recriação da vida da Condessa Elizabeth Báthory, acusada de ter assassinado centenas de jovens mulheres no séc. XVII, numa história que o folclore popular apimentou com a ideia de que a condessa se banhava no sangue virgem das suas vítimas para manter a eterna juventude.

 "Suspiria" (1977, Dario Argento)

Nicolas Winding Refn investe, uma vez mais, na composição de impressionantes sequências visuais, onde os elementos sonoros, de cor e forma são cuidadosamente preparados em (literalmente) cada cena. Em "The Neon Demon", a abundância do vermelho e azul, tanto na fotografia como na cenografia, invoca por diversas vezes o clássico de terror "Suspiria". Da mesma forma, o domínio da banda sonora, e o recurso a sugestivos efeitos sonoros, provam que Dario Argento é uma clara influência para Refn.

 

"Linda de Morrer" (1999, Michael Patrick Jann)

A competitividade entre jovens aspirantes a modelos e o respetivo desejo de singrar no mundo da moda, é um dos centros narrativos de "The Neon Demon". Essa rivalidade encontrou, no Cinema, original representação através da comédia negra "Linda de Morrer", falso documentário sobre um concurso de misses na pequena e fictícia cidade Mount Rose, onde estranhos eventos não tardam a acontecer: desde a morte suspeita de uma das concorrentes até uma série de bizarras provas de aptidão, o argumento é deliberadamente exagerado na descrição dos meandros das "indústrias da beleza humana". Talvez por isso, "Linda de Morrer" possui, hoje em dia, inegável estatuto de filme de culto.

 

"Cisne Negro" (2010, Darren Aronofsky)

Se no título anterior reina a comédia negra, Darren Aronofsky apostou no terror psicológico como forma de representar os efeitos na mente humana da competição sem limites e vincada por influências e impressões externas. Embora "Cisne Negro" relate o exigente contexto do New York City Ballet, o seu ambiente macabro e perturbador encontra definitivo paralelo com "The Neon Demon" – uma obra apelidada, por alguma crítica de cinema, como um "Cisne Negro para modelos".