Cartaz de cinema

15 filmes para ver no Doclisboa 2017

Publicado em 9 Out. 2017 às 19:04, por , em Notícias de cinema (Temas: Festivais de cinema)

15 filmes para ver no Doclisboa 2017

O filmSPOT antecipa a 15ª edição do principal evento de Lisboa dedicado ao cinema documental.

O Festival Internacional de Cinema Doclisboa traz a Lisboa, de 19 a 29 do presente mês de outubro, uma edição composta por 231 filmes, oriundos de 44 países, numa programação que, à semelhança dos anos anteriores, continua a apostar no confronto de géneros, formatos e discussões sobre as possibilidades do cinema documental.

Em 2017, a programação será dominada por duas retrospetivas: a primeira dedicada à cineasta Věra Chytilová, uma das principais figuras da Nova Vaga Checa, numa obra centrada nas relações humanas, na emancipação da mulher, e na crítica à decadência moral da sociedade e do regime comunista; e um olhar completo sobre o Cinema Direto no Quebeque, num conjunto de filmes que demonstram o peculiar cinema documental produzido nos anos 60 e 70, ao abrigo do National Film Board do Canadá.

Entre a imensa oferta de qualidade que o Doclisboa promete para 2017, o filmSPOT recomenda 15 títulos - tantos quanto as edições já cumpridas pelo Festival - a não perder:

"Ramiro" (Manuel Mozos) – Sessão de Abertura

Ramiro

Ramiro é alfarrabista em Lisboa e poeta em perpétuo bloqueio criativo. Vive, algo frustrado, algo conformado, entre a sua loja e a tasca, acompanhado pelo cão, pelos fiéis companheiros de copos e pelas vizinhas: uma adolescente grávida e a avó a recuperar de um AVC. O regresso de Manuel Mozos (Ruínas) ao Doclisboa, agora com honras de abertura do Festival.

"Ex Libris – The New York Public Library" (Frederick Wiseman) – Secção Da Terra à Lua

Ex Libris – The New York Public Library

No seu novo filme, o realizador Frederick Wiseman (um dos principais observadores, desde os anos 60, da componente institucional da sociedade norte-americana) leva-nos aos bastidores de uma das maiores instituições de conhecimento do mundo, um local de boas-vindas, intercâmbio cultural e aprendizagem. A Biblioteca Pública de Nova Iorque exemplifica a crença americana no direito do indivíduo saber e ser informado.

"Risk" (Laura Poitras) – Secção Da Terra à Lua

Risk

Filmado ao longo de 6 anos, pela realizadora do oscarizado "Citizenfour", "Risk" é um estudo psicológico complexo e volátil. Encurralado num edifício minúsculo durante meia década, Julian Assange não vacila, mesmo quando a justiça ameaça minar a organização que lidera e fraturar o movimento que inspirou.

"Dawson City: Frozen Time" (Bill Morrison) – Secção Da Terra à Lua

Dawson City: Frozen Time

"Dawson City: Frozen Time" reconstitui a história verídica e bizarra de uma colecção de 533 filmes dos anos 1910 e 1920, que estiveram perdidos durante mais de 50 anos, até serem descobertos enterrados numa piscina subárctica no interior do Território do Yukon.

"Faithfull" (Sandrine Bonnaire) – Secção Heart Beat

Faithfull

Marianne faithfull já viu de tudo: sucesso e fama com 17 anos em Londres, a vida com Mick Jagger nos tempos conturbados dos Rolling Stones, escândalo, drogas, toxicodependência e declínio, a vida na rua e o renascimento, prémios e reconhecimento artístico.

"Becoming Cary Grant" (Mark Kidel) – Secção Heart Beat

Becoming Cary Grant

Conhecido pela sua sofisticação elegante, Cary Grant tornou-se num ícone com os papéis que desempenhou em filmes da era dourada de Hollywood, mas era também um homem conturbado, descrevendo-se a si mesmo como alguém que, cautelosamente, espreitava por detrás de uma máscara.

"Daisies" (Věra Chytilová) – Retrospetiva Věra Chytilová

Daisies

"O filme baseou-se originalmente na minha vida em residências. Decidimos mostrar a destruição em todos os sentidos da palavra, não apenas de coisas e relações, mas de toda a imagem. Era a nossa defesa contra a destruição que nos rodeava." Věra Chytilová.

"Whitney - Can I be Me" (Nick Broomfield e Rudi Dolezal) – Secção Heart Beat

Whitney - Can I be Me

Whitney Houston foi o exemplo de uma super-estrela, uma "princesa americana", a artista mais galardoada de sempre. Teve mais primeiros lugares consecutivos nas tabelas de música do que os Beatles e ficou conhecida como uma das maiores vozes de todos os tempos. Morreu com apenas 48 anos.

"I don"t belong here" (Paulo Abreu) – Competição Portuguesa

I Don't Belong Here

"I don"t belong here" acompanha o processo criativo de uma peça de teatro com o mesmo nome, concebida a partir das experiências pessoais dos próprios intérpretes que, oriundos dos EUA e do Canadá, são inesperadamente deportados para os Açores.

"António e Catarina" (Cristina Hanes) – Competição Portuguesa

António e Catarina

Um homem com 70 anos e uma mulher com 25 estabelecem uma relação cândida e intensa, com um fim à vista. Fechados num quarto, António e Catarina negoceiam os termos dessa relação. Filme premiado na Competição Internacional do último Festival de Locarno.

"Les Ordres" (Michel Brault) – Retrospetiva Uma Outra América - O Singular Cinema do Quebeque

Les Ordres

Seguimos cinco personagens construídas a partir do testemunho de dezenas de pessoas detidas durante o estado de exceção no Canadá, em Outubro de 1970. Um filme magistral entre o testemunho dos factos e a construção de um imaginário político. Vencedor do Prémio de Melhor Realizador no Festival de Cannes de 1975.

"Quem é Bárbara Virgínia?" – Secção Riscos

Quem é Bárbara Virgínia

Sessão em memória de Bárbara Virgínia, a primeira mulher a realizar um filme em Portugal, na década de 40. Composta pelos filmes "Aldeia dos Rapazes – Orfanato Sta. Isabel de Albarraque", "Três Dias sem Deus" (o primeiro filme português, em termos absolutos, apresentado em competição no Festival de Cannes, em 1946) e "Quem é Bárbara Virgínia", de Luísa Sequeira.

"An Inconvenient Sequel: Truth to Power" (Bonni Cohen e Jon Shenk) – Secção Da Terra à Lua

An Inconvenient Sequel: Truth to Power

Uma década após "Uma Verdade Inconveniente" ter trazido as alterações climáticas para o cerne do imaginário popular, chega a continuação que mostra o quão próximo estamos de uma verdadeira revolução energética. Al Gore prossegue a sua luta incansável.

"Spell Reel" (Filipa César) – Competição Internacional

Spell Reel

Um arquivo de material audiovisual em Bissau. À beira da ruína completa, as imagens testemunham o nascimento do cinema guineense enquanto parte da visão descolonizadora de Amílcar Cabral, o líder da libertação assassinado em 1973.

"Era Uma Vez Brasília" (Adirley Queirós) – Sessão de Encerramento

Era Uma Vez Brasília

Em 1959, o agente intergaláctico WA4 recebe uma missão: vir para a Terra e matar o presidente da República, Juscelino Kubitschek, no dia de inauguração de Brasília. A sua nave perde-se no tempo e aterra em 2016, em Ceilândia.

A programação completa do Doclisboa 2017, incluindo atividades paralelas, exposições e debates, pode ser consultada no site do Festival.